elsarossi art & tales

Children are our Future.

Elsa's CV

Elsa Rossi received a BA in Arts from the Faculty of Belas Artes of Sao Paulo, Brazil. She has been writing poems for many years. After the birth of her 3 children, Elsa began to write stories for children with their participation.


The writer uses daily situations in order to create educational stories, thus emphasising the benefits of not telling lies, not fighting against their brothers and sisters, pets death and illness and so on.


Her stories focus on the key human qualities of forgiveness, tolerance, love  an peace, and how to nejoy the life, how to understand God, and so on.


Elsa has already published four (4) books in English, Portuguese, Germany and Spanish.

Thirty more books in Spanish, French, English and Portuguese, Russian can easily be accessed on the internet for free. www.elsarossi.com


Elsa has written 2 books of Poems: Anthology of Sentiments and Sea Songs. She is finishing the 3rd book on poems.

1 book in Portuguese, published by FEB - in partnership with 2 other authors.


Elsa’s joy is to be able to create new stories and tales. Many were inspired by her seven grandchildren: Talles, Kalel, Joshua, Isabella, Georgia, Bianca and Nicolas.


In her work as a propagator of Spiritism, Elsa is the President of the British Union of Spiritist Societies;  2nd Secretary of the International Spiritist Council; former the Secretary of the Spiritist Society of London. Former 1st Presidente of the HILDEBRANDO DE ARAUJO FOUNDATION - Curitiba-Pr. Also, she is a columnist for the Brazilian Spiritist Newspaper The Immortal , the Virtual online Spiritist Magazine " O Consolador" ( www.oconsolador.com.br ) and since 1998 has been editing the bulletins of International Spiritist Council www.isc-europe.org


facebook: https://www.facebook.com/elsa.rossi.1

: @elsarossikardec

website: www.elsarossi,com

 

Apresentacao

 Elsa Rossi, é natural do Paraná, reside atualmente em Londres - Reino Unido.

Foi casada com o trabalhador espírita já falecido Luis Nelson Rossi. Tem 3 filhos, 6 netos.

Sua formação universitária em Artes pela Faculdade de Belas Artes de Sao Paulo-SP-Brazil, com Extensao Universitaria em Curadoria de Museus e Design de Exposicoes (MAM).

 

Sempre escreveu poemas desde a fase escolar. Apos o nascimento dos 3 filhos, comecou a escrever as historias infantis com a participação das crianças. Elsa aproveitava as situações do dia a dia, para criar as historias educativas, salientando os beneficios de não mentir, de não brigar com os irmãos, de perdoar, de ter paciencia, de entender a morte do animalzinho de estimacao, a doenca de algum amiguinho e assim por diante.

 

Hoje já com 3 livros publicados:  em Português pelo Lar Fabiano de Cristo – “A Lagartixa Boazinha que não queria viver sozinha”, em Espanhol,  publicado no Paraguay “ Aprendiendo a Orar  -  Libro de oraciones para ninos y ninas”, e em Inglês “ My First Teddy Bear”, "Learning how to pray - book of prayer for children" todos doados os direitos autorais.

 

Na medida do possivel, disponibiliza "on line" um acervo de mais ou menos 30 matérias entre historinhas, músicas, contos, pinturas e manuais os quais estão sendo sempre melhorados enquanto disponiveis na internet. Algumas historinhas on-line já estão vertidas ao frances, ingles, alemao e espanhol. De sua autoria dois livros de poesias: Coletaneas de Sentimentos e Cantos do Mar. Um terceiro livro ja esta a caminho. Todos os Livros em portugues são Registrados na Casa de Cultura e Biblioteca Nacional do Brasil. Alguns poemas em Ingles estao no site www.poetry.com, com um poema publicado  pela Nobels House-London.

 

Sua alegria é poder criar novas histórias e contos, sob a inspiração de seus sete netos – Talles de 23 anos, Kalel de 184 anos, Joshua de 18 anos, Isabella  e Georgia de 17 anos, Bianca 4 e Nicolas de  11 anos.

 

No seu trabalho como divulgadora do Espiritismo, Elsa é a 2a. Secretaria do Conselho Espirita Internacional; colunista do Jornal "O Imortal" e edita desde 1998, os Boletins do Conselho Espírita Internacional (Geral e da Europa), Foi a 1a. Presidente da Fundação Hildebrando de Araujo, da Federação Espírita do Parana, alem de colaborar com alguns órgãos da midia, escrevendo artigos para o “Grupo de Interesse em Psiquiatria e Espiritualidade” do Royal College of Psychiastrists de Londres, e para a “Revista O Consolador”, “Revista Internacional de Espiritismo”, Revista do ICEESP, etc.

 

Elsa Rossi disponibiliza seus poemas, seus livros e suas músicas gratuitamente que podem ser utilizadas por todos, desde que citados os créditos e a fonte.

 

Entrevistas. 

2003 Boletim GEAE

2004 Revista Universo Espirita

2004  Entrevista RIE

2007 Revista O Consolador

2007 Espiritualidade e Sociedade:  http://www.espiritualidades.com.br/Noticias/2007_03_26_Elsa_Rossi_entr.htm

2007 UK Boletim Sir William Crookes 

2008 Correio Espirita: http://www.correioespirita.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=493&Itemid=51

2009 Focalizando o Trabalhador Espirita: http://ismaelgobbo.blogspot.com/2009/11/focalizando-o-trabalhador-espirita-elza.html

2010 TVCEI: www.youtube.com/watch?v=UvQZSb1Pq1k

2010 TV Despertar Espirita:  http://www.youtube.com/watch?v=GJv0pOzqjjw

2011 Blog do ismael:  http://www.guiata.com.br/use/noticia/fullnews.cgi?newsid1312936907,83167

2012 Folha Espirita Francisco Caixeta : http://www2.quatromaosdeluz.com.br/elsa-rossi-inglaterra.html

2012 Canal Londres - www.canallondres.tv/bem-vindo_ao_canallondres.tv.html

http://www.canallondres.tv/Canallondres-Brasileiros-em-Londres-e-na-Europa__espirita.html

http://www.youtube.com/watch?v=Dr1iLxZGs90

http://www.youtube.com/watch?v=UvQZSb1Pq1k

www.oconsolador.com.br

 

Elsa Rossi Interview O Consolador

“I see the spiritist doctrine as a wonderful garden full of seeds. It is up to the caring gardener to water it...”  

Elsa is thousands of miles away from her homeland Brazil. Still she speaks of Spiritism like singing a delightful bossa nova filling the musical score with lyrics of love and tenderness. She is the Coordinator of the Unification of European Section of the International Spiritist Council-Europe. Elsa currently lives in London, UK and spoke to "O Consolador" about her life, her personal experience with Spiritism and her vision of Allan Kardec's works. 

Elsa is the living character in a story of love and commitment. She emphasizes at all times how important Spiritism has been in her life. She sees us as gardeners working in a giant field for Jesus, watering his beloved seeds. “It is the example we set in daily life that shows how good we are as Spiritists. It shows the efforts we make to improve ourselves. It is the doctrine of love that nurtures my friendships”.

It was in such delightful and optimistic style that Elsa Rossi gave us this exclusive interview. It is the first of a series of articles with distinguished persons involved in spreading the Spiritist Doctrine.

O Consolador: Elsa, where were you born?

Elsa: I was born in Ribeirão do Pinhal, a small town in the South of Brazil.

O Consolador: You live in London now. Why have you moved?

Elsa: I moved to London to help spread the Spiritist Doctrine.

O Consolador: What is your educational background?

Elsa:  I graduated in Arts in the “Faculdade Belas Artes” from Sao Paulo, SP, Brazil.

O Consolador: What positions have you taken in the Spiritist movement?

Elsa: Director of the Social Work Department of the Parana Spiritist Federation, President of the “Fundação Hildebrando de Araújo” and vice-director of the Nursery “Josefina Rocha”, which is part of the Parana Spiritist Federation.

O Consolador: In which sector of the movement do you currently work?

Elsa: I work as director of the Unification Department for the European countries in the International Spiritist Council (ISC), also as editor of the bulletins of the ISC that can be accessed online at www.spiritist.org e www.spiritismo.org In the British movement I am the secretary of the British Union of Spiritist Societies (BUSS).

O Consolador: When did you have your first contact with Spiritism?

Elsa: It happened when I was 15 but at that time I could not accept the concepts. Aged 24, when my daughter was born, I had to accept the idea of mediumship - I could not understand what was happening to me, for I could see and hear the dead. It only made sense when I went to a Spiritist Centre in Londrina (a town in the south of Brazil where I was living then). I met Mr Rubens Denizard dos Santos and made contact with my husband Luis Rossi (who had already left the body and who had been Spiritist while alive), and studied the book “Consolador” brought by the medium Francisco Candido Xavier. Since then I have never stopped attending the Spiritist Centre.

O Consolador: What was the reaction of your family to your interest in Spiritism?

Elsa: My husband was already Spiritist. I was the one who could not accept it. But that was 32 years ago. The reaction was actually great.

O Consolador: Of the three aspects of Spiritism (scientific, philosophical and religious) what is the one that attracts you the most?

Elsa: All of them. I have no preference but in the UK, due to the nature of my work here, it is easier to deal with the scientific and philosophical aspect.  

O Consolador: What are your favorite Spiritist authors?

Elsa: André Luiz, Emmanuel, Joanna de Ângelis, Yvonne do Amaral Pereira… There are so many! 

O Consolador: What Spiritist books you deem essential for the newly acquainted with the doctrine?

 Elsa: “The Spirits Book” is absolutely essential! Also “Astral City/Our Home”; “2000 years Ago”. Because I am living in Europe now, I find the trilogy from Yvonne do Amaral Pereira: “O Cavaleiro de Numiers”, “O Drama da Bretanha” e “Nas Voragens do Pecado” are most interesting. They should all be available in various languages, as well as the André Luiz collection.

 O Consolador: If you were to spend years living in a distant place where there was no Spiritist activity, which Spiritist books would you take?

 Elsa: “Our Daily Bread”, “The Pathway, the Truth and Life”, “Living Fountain”, “Vineyard of Light”, all from Emmanuel. I would also like to take the Codification Books.

 O Consolador: Doctrinal differences in the Spiritist movement are few. One of them concerns what is called “Lay Spiritism”.  Do you believe Spiritism is a religion?

 Elsa: In the book “What is Spiritism”, Allan Kardec asserts that Spiritism is both a science of observation and a philosophical doctrine. As a practical science, it consists of the relationships that can be established with Spirit; as a philosophy it embraces all the moral consequences of those relationships. Spiritism is independent of any form of cult and does not recommend any of them; it does not concern any particular dogma and is not a special religion because it has no priests or temples. Nevertheless, although Spiritism is not a religion, it inevitably takes us to religious thought. It develops it in those who do not have it and strengthens it in those who already have it.

 O Consolador: The third issue that divides Spiritist opinion relates to standardized spiritual healing, proposed in works like the one from Edgard Armond. We know in Parana that the Federation has taken a view and only recommends the laying on of hands as recommended by J. Herculano Pires. What is your opinion?

 Elsa: I agree with it and it is what we use here for its simplicity.

 O Consolador: How do you see the discussion regarding abortion? From your point of view, do you think that Spiritists should be more active in the defence of life like the Catholic Church?

 Elsa: I see in the media what is being done in Brazil and there was recently a meeting about this issue where Dr Marlene Nobre and other Spiritists were present.

 O Consolador: The practice of euthanasia is not approved by the Spiritist doctrine. Allan Kardec and other authors like Joanna de Ângelis already oppose this. There has been recently though the idea of “orthonasia” which is supported by some Spiritist doctors. What is your opinion about it?

 Elsa: Well, I am not an academic and it is a risk to talk about something that we do not know a lot about. I think that when the spirit needs to go, it is tragic that the machines are tying it to the body. Many Mediums report seeing spirits suffering in this situation. A body without life that is supported by machines despite terminal disease has its rest denied. It requires further consideration and profound studies guided by orientation of the spiritual benefactor. One day lay people will understand that as well.

 O Consolador: Are you happy with how the Spiritist movement in our country is progressing or is there anything that could be done to improve the spread of the Spiritist doctrine.

 Elsa: Our movement in Brazil pleases me the most. It is there that I search for the energetic resources and constant learning for my task here. Nevertheless I would say that there has been time wasting for many loving friends who join in unnecessary polemics. I like to use this well known saying: “The Spiritist movement will be whatever we make out of it. The Spiritist doctrine… it just is”! Therefore I concentrate on the wisdom of the Gospel of Jesus. Let’s try to apply if to our daily lives at any time, any place, and surely we will make less mistakes. Our path was laid down by our master Jesus.

 O Consolador: How do you understand the level of criminality and violence growing in the whole world. How should we Spiritists cooperate to overcome this tendency?

 Elsa: The only way is to start at the beginning - creating internal peace to reflect how to act better in certain situations. If we can not change the world in a given time, let’s use our time to change what is closer to us through the example we set. Our attitudes can influence teenagers. Talk to them in the street, give them a “cool” shirt, a “funky” hat and then invite them to join a study group, watch a Spiritist play, come and have tea… but it’s no good if we only criticize and we do not do anything.

 O Consolador: Preparation for the creation and regeneration of our planet is already in its first steps. How many years from now do you think it will take for Earth to cease to be a planet of trials and expiation and to be elevated permanently to the condition of a world of regeneration where, according to St. Augustine, the word love will be written in all faces and perfect equilibrium will regulate all social interactions?

 Elsa: I think we still need many thousand of years to free ourselves from the evil that is rooted in mankind so that the word love can become the rule of conduct for all…

 O Consolador: What should be the priority of the directors of the Spiritist movement in Brazil and in the world concerning the various problems contemporary society is facing?

 Elsa: The priority in Brazil is different from other countries. Each country has its cultural history passed down the generations. Religious wars have left a wound in the faith in God and for that, many people have an allergy to talking about religion. Each country has its own culture; its own reality and different needs. I have been living in the UK for more than 9 years and experiencing very different situations with English friends. Only now do I finally understand that is it easier for an English to accept “The Spirits Book” than “The Gospel according to Spiritism”. But after a period of reading the first, they might accept the second due to the eloquence of the author Allan Kardec. That is just the beginning. For that reason we cannot bring the same work we do in Brazil to the UK. To introduce something into a new culture a significant adjustment in its presentation is needed. We must create the necessary conditions to fertilize a new garden…

 Translated into English – Dr. L. Moryama – London

Revised – Dr. A. Powell - Oxford

2003 Boletim GEAE

Entrevista com Elsa Rossi  -  para o GEAE

 

Elsa Rossi participa do "Grupo Espírita de Brighton" no Reino Unido e é responsável pelo "Departamento de Integração para os países da Europa" da Coordenadoria Europa e também dos boletins da coordenadoria e do Conselho Espírita Internacional.

 

GEAE - Gostariamos inicialmente de agradecer-lhe a gentileza em nos conceder esta entrevista e pedir que nos falasse um pouco de sua história pessoal. Como foi seu primeiro contato com o Espiritismo e quais os eventos que a levaram a participar do movimento espírita europeu ?

 

Elsa - Em 1968, a esposa do dr. Napoleao de Araújo, da Federação Espírita do Paraná falou-me pela primeira vez da Doutrina Espírita. (Dona Elci, desencarnou em janeiro deste ano 2003). Naquele tempo, era eu muito católica. Conheci meu esposo, Luis, de família espírita. Em 1971 casamos na igreja católica e ele concordou em batizar nossos filhos. Ao nascer a minha terceira filha, hoje com 28 anos, desabrochou em mim a mediunidade. Assustada, tive de aceitar ir a uma Casa Espírita. Desde então, um mundo novo surgiu. A Doutrina Espírita adentrou ao meu coração e fez eterna morada.

 

Quando meu esposo desencarnou em 1991, em Curitiba, meu filho já cursava a faculdade. Fui convidada pelo então Presidente da FEP, a assumir o Depto. De Assistência Espírita da Federação Espírita do Paraná.  No mesmo ano, assumi o cargo de Presidente da Fundação Hildebrando de Araujo, ligada a FEP, onde atuamos por 5 anos.Também assumimos a vice-direção da Creche Josefina Rocha da FEP. Éramos uma das coordenadoras do Grupo da Juventude Espírita do Centro Espírita que frequentávamos. Como rotariana, fui diretora da Avenida de Serviços a Comunidade do Rotary Club Curitiba. Nesta oportunidade, apoiada pelos companheiros, criamos a Campanha do Desarmamento Infantil, onde conseguimos motivar a comunidade colocando claramente nossos objetivos como espírita. Éramos respeitada e tínhamos a colaboração e credibilidade dos 3 poderes, para tal. O Objetivo era: concientizar pais de não darem armas de brinquedos, e tambem trocar armas de brinquedos nas escolas, por livros, bolas e bonecas. Posteriormente, um vereador rotariano conseguiu que o dia 21 de Novembro fosse O DIA DO DESARMAMENTO INFANTIL, no calendário do Paraná.

Enquanto na FEP, aproveitávamos nossas viagens de férias ao exterior para levar o Jornal Mundo Espírita aos grupos nos países que visitávamos. Quando não havia grupo espírita, deixávamos informação espírita em grupos espiritualistas ou de parapsicologia, como aconteceu em abril de 1992 em Istambul na Turquia.  Outra coisa que fazíamos e ainda fazemos, é esquecer O Livro dos Espíritos e o Evangelho Segundo o Espiritismo, em inglês, nos aeroportos, estações de trens.

 

A Doutrina Espírita despertou em mim a preciosidade do tempo.  No final de 1992 viemos novamente a Europa, para o Congresso Mudial Espírita realizado em Madrid. Trouxemos 200 exemplares do Jornal da FEP-Mundo Espírita distribuindo-os gratuitamente. Na ocasião  fizemos a primeria entrevista com Nestor Masotti e Rafael Gonzalez Molina. Neste evento conhecemos muitos amigos de outros países.  Posteriormente continuamos nossos contactos. Me lembro do Santiago Gene Mateu de Reus na Espanha; da família Bergman da Suecia; da Janet Duncan, que eu já conheca do Brasil, Juan Durante da Argentina, Roger Perez da França, o Domenico Romagnolo da Italia, amigos da Guatemala, da Colombia, entre outros tantos.

Em 1997, por 2 meses fiquei na Inglaterra para estudar inglês. Frequentava o Allan Kardec Study Group. Daí para o envolvimento com os amigos que eu já conhecia e participar do Movimento Europeu, foi rápido. Hoje estou colaborando como responsável pelo departamento de Integração para os Países de Europa, o Boletim Trimestral uropeu e o Boletim Informativo do CEI geral. Em 1998 transferi-me para Inglaterra, pouco depois minha filha veio tambem.

 

GEAE - Qual é o papel do "CONSELHO ESPIRITA INTERNACIONAL" no movimento espírita? Por favor nos fale de sua história e dos grupos que o compõe ?

Elsa - O CEI é o organismo resultante da união, em âmbito mundial, das Associações Representativas dos Movimentos Espíritas Nacionais.  Foi criado em 1992, em Madrid. Hoje, passados apenas 10 anos, conta com 24 países membros. Tem oferecido o apoio a todos os países, seja na forma de visitas, seja na produção de material apostilado, em inglês, francês, espanhol e português, como tambem os folders CONHEÇA O ESPIRITISMO em 12 idiomas. O Secretário Geral do CEI tem editado e impresso esse material, fornecendo gratuitamente a todos os membros e outros que estão em vias de se filiar. O crescimento do CEI resultou na estruturação de 4 Coordenadorias de Apoio que hoje realizam muito bem o seu papel. Há uma maior aproximação entre os países, resultado do trabalho fraterno e constante do CEI, a nível mundial.

GEAE - Qual é o papel da "Coordenadoria da Europa" dentro do CEI ? Existem outras coordenadorias para outras regiões geográficas ?

Elsa – Em 1997 foram criadas as duas Coordenadorias Américas e Europa. Em 1998 aconteceu a primeira reunião de implantação da Coordenadoria de Apoio aos Países da Europa e desde então, nosso estimado Roger Perez é o Coordenador.  Está  estruturada em vários departamentos que podem ser observados no web site www.isc-europe.org  e vem atendendo muito bem aos seus propósitos de apoiar e estimular a unificação.  Em fevereiro de 2002, durante a reunião do Conselho Espírita Internacional realizado em Brasília,  foram implantadas as Coordenadorias da América do Norte, América Central e América do Sul.   Temos notícia de que Leon Denis está coordenando do Mundo Espiritual, o Movimento Espírita Europeu e Dr. Adolfo Bezerra de Menezes, a nível mundial.

GEAE -  Nos parece que o Reino Unido deva ser um caso bem particular dentro do movimento espírita. Não só o "Espiritualismo Moderno" contou, desde seus primeiros dias no Império Britânico, com grandes médiuns e divulgadores de renome como Sir Arthur Connan Doyle, como ainda tem representatividade dentro de sua cultura. Como é o movimento espírita no Reino Unido? E seu relacionamento com os grupos espiritualistas que aí existem ?

Elsa - No meu ponto de vista particular, aqui em UK o movimento essencialmente espírita é bom. A grande maioria dos espíritas somos brasileiros, espanhóis, portuguêses que aqui residimos. Alguns inglêses apenas. Quanto aos espiritualistas, eles ja tem a convicção deles. Eles vem por anos e anos sendo espiritualistas, não precisam mudar. Nem contamos com isso.  Um ou outro espiritualista é que encontra na Doutrina Espírita maiores esclarecimentos. O nosso trabalho não é trazer os espiritualistas para os grupos espíritas. Como voce mesmo menciona na questão: o Espiritualismo Moderno é anterior à Codificação. O Espiritualismo tem duas correntes: Os que aceitam e os que não aceitam a Jesus e a reencarnação.  Nós espíritas, podemos oferecer uma Doutrina de Amor e Luz a quem é solitário dentro da multidão, que sofrem por não ter fé, não ter uma crença em Deus, e outros que desejem explicações filosóficas do “existir”. Nossos grupos estão abertos a todos os que desejem conhecer a Doutrina Espírita. A preocupação não é tornar os outros “espíritas” mas oferecer a mensagem de Jesus: “Fazer a outrem o que queremos que nos façam”, procurar exemplificar a  “Caridade, amor em ação”, reforma íntima, etc... com isso, os que desejarem continuar frequentando os grupos, estudando a D.E., bom para eles.

 

GEAE - Uma questão que naturalmente surge é qual a influência do movimento espírita brasileiro no atual cenário do Espiritismo no mundo. Comparando-se o movimento espírita europeu do final do século XIX - por exemplo o trabalho de divulgação empreendido por Leon Denis na França ou o de Amalia Domingo Soler na Espanha - com o atual, há diferenças significativa de idéias ou de posturas ? Há bases para se dizer que o atual movimento espírita é mais ou menos cientificou, mais ou menos filosófico, mais ou menos religioso e que isso se deva a influência brasileira ?

Elsa - Cada povo tem sua iodiossincrasia. Respeita-se tudo e todos. No Brasil temos maior facilidade de absorver o lado religioso, seja da Doutrina Espírita ou outra religião.  Na Europa, observa-se que a palavra religião ainda causa um distanciamento. Em nome da religião aconteceram séculos de barbarismos. A marca da inquisição ainda está presente na psicosfera de muitos países europeus, mas nem mesmo eles sabem disso. A prova é que muitos se dizem agnósticos, não acreditam em Deus, muitos nos dizem claramente isso.  Então, o lado científico, filosófico e moral facilita a aproximação da religação com Deus.

 

GEAE - Outra questão que se apresenta naturalmente, talvez consequência da anterior, é se há diferenças culturais significativas na percepção do que significa ser "religioso" ? Caso exista esta diferença, como o CEI lida com ela ?

Elsa – Nos baseamos no discurso de Allan Kardec, feito no dia 1º de Novembro de 1868, na abertura da Sociedade de Paris.Esclarecemos a quem está interessado em saber, que a religião espírita não tem a mesma definição  tal como a palavra religião é conhecida. Explicamos que a religião na Doutrina Espírita não traz os formalismos das igrejas, não tem ritualismos. Que a Doutrina Espírita nos convida a uma reflexão para a melhoria em nosso comportamento, mas ela, a Doutrina Espírita nada impõe. Explico que a palavra religião para nós espíritas é a  simplicidade de entender que Deus está em nossa consciência e em nosso coração. E Ele é Amor. E pelo Amor, a Ele nós nos ligamos, ou religamos.

GEAE - Quais são os canais de comunicação utilizados pelo CEI na divulgação da mensagem espírita ?

Elsa – Divulgamos em Boletins do CEI que realizam-se as quartas feiras reuniões pelo TIVEJO e pelo MSM. No Tivejo, Sala Espiritismo.  Brevemente estará disponibilizado o novo web site, cujo layout está sob  a responsabilidade de Luis Hu.  http://www.spiritist.org

A internet hoje é um canal muito bom para a divulgação das atividades e informações formativas espíritas. Disponibilizam-se livros espíritas, mensagens em vários idiomas. Lentamente os países membros e não membros do CEI vão se estruturando para poder acessar a internet. Sabemos que isso tem um custo, mas com paciência, respeito e ajuda mútua, já podemos dizer que praticamente todos os países se comunicam uns com os outros pela Internet. Tirando a barreira da língua, o que acontece ainda é a falta de um melhor conhecimento no uso deste veículo, prevenindo-se contra os vírus. Vigiai e orai!

GEAE - Como estão os esforços de tradução das obras espíritas nos vários idiomas?
Elsa - O esforço é muito grande.

 

GEAE - Quais são as linguas utilizadas pelo CEI ?

Elsa - As oficiais: Ingles, Portugues, Frances, Espanhol e Esperanto.


GEAE - E quanto ao Esperanto, como é visto pelo CEI e pelos grupos que o compõe?

Elsa - Em todas as reuniões há o esforço por parte do CEI para estimular os representantes dos países que estudem o Esperanto. Nada se impõe.  A liberdade de cada um deve ser respeitada.


GEAE - Quanto a mediunidade, qual é o papel que desempenha nos grupos espíritas ligados ao CEI ?

Elsa - Como em qualquer outro grupo espírita em qualquer país. De um modo geral, os grupos espíritas membros da instituição nacional nos países estão bem estruturados, e vemos que a cada passo, mais grupos estão se tornando membros, fortalecendo a união em toda a parte. Isso alegra a todos nós, que nos consideramos uma grande família espírita mundial.


GEAE - Há formação de médiuns nestes grupos e como ela se dá ?

Elsa - Cada grupo tem suas necessidades. Se existem número representativo de pessoas que já são espíritas, continuam o estudo do Evangelho, o Livro dos Espíritos, já estudam o Livro dos Médiuns, então já estão preparadas para realizar a reunião mediúnica, se houver médiuns e doutrinador para essa tarefa de caridade. Existem cursos preparatórios para a educação dos médiuns, isso é de conhecimento de todos. Praticamente todas as casas espíritas e grupos espíritas do exterior tambem conhecem livros de estudo da Mediunidade. O COEM abriu um campo muito bom nesta área de preparação dos médiuns.  Janet Duncan tem todo o COEM em ingles.


GEAE - Há grupos sem médiuns e como eles se organizam ?

Elsa - Como em qualquer outro grupo espírita em qualquer país. Um grupo espírita em formação não tem necessariamente de começar com um grupo mediúnico. Após um tempo para estudos e vivências,  harmonização das pessoas, então os grupos que podem, se preparam para o estudo da mediunidade e se tornam trabalhadores na área.  É uma caridade que, em se podendo fazer com respeito e cuidados, é sempre maravilhoso.

GEAE - O que deve fazer alguém que procura um grupo espírita em um país diferente do seu ou quando não existe um grupo no local em que se reside ?

Elsa - Disponibilizamos no web site http://www.isc-europe.org   os endereços de praticamente todos os grupos espíritas na Europa. Pedimos sempre que os países que nos enviem as atualizações dos endereços. Informamos o grupo espírita mais próximo. Ou então, como exemplo, ajudamos a divulgar o endereço da pessoa como “EVANGELHO NO LAR na Finlandia” , ou tal cidade. Com isso aparecerem em pouco tempo, mais pessoas mesmo que residam em cidades diferentes, mas que possam se reunir nem que seja uma vez por mes para estudar a Doutrina Espírita. Não se pode comparar com o Brasil.

 

GEAE - È recomendável a criação de grupos familiares ?

Elsa - Sim. Sempre começamos por um grupo familiar. Iniciamos o Evangelho no Lar, com familiares e amigos e quando já está mais estruturado, inicia-se o Grupo Espírita. E assim vão aparecendo mais pessoas e o grupo se fortalece, nomina-se o Grupo e cria-se o estatuto de acordo com a lei do país e pronto.

 

GEAE - E quanto a realização de sessões publicas, que cuidados que devem ser observados ?

Elsa - Os mesmos cuidados aplicados a qualquer grupo que se dispõe a abrir as portas ao público. Seja no Brasil ou outro lugar. A única observação que fazemos, é que  é muito importante oferecermos os trabalhos na língua do país onde estamos trabalhando a divulgação da D. E., dentro das normas legais do país.

 

GEAE  - Quais as recomendações relativas ao problema do idioma e das barreiras culturais ?
Elsa - Se estamos no país que nos acolhe e onde estamos plantados, nele devemos florescer. É nossa obrigação aprendermos essa língua e divulgarmos a Doutrina Espírita a quem deseja,  na sua língua nativa. Para poder me comunicar com alguns países que não falam o português, o inglês ou o espanhol, continuo aprendendo o Esperanto.

GEAE - Quais são os melhores caminhos para divulgar a Doutrina Espírita em uma localidade que ainda não a conheça ?

Elsa - Aproveitando a oportunidade quando em conversa com amigos, no trabalho, na escola, etc... Em sendo possível, realizar palestras públicas, com uma boa divulgação prévia. Se forem palestrantes como nosso querido Divaldo Franco que há muitos anos vem divulgando a Doutrina Espírita no exterior, aqui em UK as palestras são sempre traduzidas ao inglês. Uma boa divulgação atrai o público interessado.

GEAE - Há grupos espiritualistas afins que possam contribuir neste esforço ?
Elsa - Os espiritualistas, pelo menos aqui em Brighton, comparecem às palestras espíritas públicas, quando elas acontecem. Normalmente realizamos uma por ano, por enquanto. Passado a palestra, continuam nas suas igrejas espiritualistas. Ótimo, ja tem sua religião, sua filosofia de vida, sua doutrina.

 

GEAE - É válido pensar-se em trazer palestrantes e médiuns de outras localidades?
Elsa -Aqui em UK, a BUSS, orgão que congrega os grupos espíritas britânicos, tem sempre o cuidado de convidar os conferencistas já conhecidos, ou que se conhece em Congressos Mundiais, ou ainda indicados. Assim temos a certeza de termos bons resultados com o empenho em trazer esses conferencistas, a nível de país.

GEAE - Finalizando a entrevista, gostaria de perguntar-lhe quanto ao futuro. Quais são os planos do Conselho Espírita Internacional para médio e longo prazo ? Como o CEI vê o futuro do movimento espírita internacional ?

Elsa – Quem pode responder melhor a questão é a Comissão Executiva do CEI. O CEI, dado ter apenas quase 11 anos de sua criação, já  completou várias metas de seu planejamento. Realizou 3 Congressos Mundiais e estruturou Coordenadorias. A prioridade é a unificação e isso vem acontecendo. A curto prazo o CEI tem a realização do IV Congresso Espírita Mundial – Paris 2004.

 

Nestor Masotti, Secretário Geral do CEI, vê com bastante tranquilidade e positividade. Da união de todos, do reto proceder, das boas intenções, da fraternidade, só podemos esperar bons resultados. Voltemos nosso coração ao Evangelho, com tolerância, união e muito amor pela causa espírita. Na última reunião do CEI Europa, na Suécia em maio, foram momentos de tanta luz, tanta união, tanta comprensão, que ao retornar aos nossos países, era como se deixássemos para trás, parte de nossa família e já sentíamos saudades da presença de todos. Assim é o CEI, uma grande família. Os que puderem, visitem e divulguem os web sites do CEI e Coordenadorias: http://www.spiritist.org

GEAE - E no âmbito da Coordenadoria Europa ?

Elsa - Nosso querido amigo Roger Perez, presidente da União Espírita Francesa e Francófona e Coordenador do CEI na Europa desde sua implantação,  no último Editorial do Boletim 18 da Coordenadoria Europa do CEI, escreveu uma bela mensagem, que responde a sua pergunta. Vale a pena conferir: http://www.isc-europe.org  ou http://www.spiritismo.info.

http://www.geae.inf.br/pt/index.html  -  Ano 11 - Número 461 - 2003            12 de agosto de 2003  Entrevista com Elsa Rossi

2007 Revista O Consolador

Entrevista
Ano 1 - N° 14 - 18 de Julho de 2007
FERNANDA BORGES
fernanda@oconsolador.com.br
Londrina, Paraná (Brasil)


Elsa Rossi:
“Para mim, a Doutrina Espírita é um grande canteiro que tem sementes sob toda a terra que o jardineiro, amoroso,
faz o trabalho de regar”
 

 

A milhares de quilômetros de sua terra natal, a paranaense Elsa Rossi fala do Espiritismo como se estivesse cantarolando uma bela canção, recheada de notas escritas com muito amor e carinho. Diretora do Departamento de Unificação para os Países da Europa, da Coordenadoria Europa do Conselho Espírita Internacional, Elsa, que hoje vive em Londres trabalhando na divulgação da Doutrina Espírita, conta à revista O Consolador um pouco de sua vida, seu envolvimento com o Espiritismo,  além de  registrar  aqui  sua visão

 com relação a algumas obras e assuntos relacionados à Doutrina codificada por Allan Kardec.

Por meio de palavras que nos revelam uma história de amor e dedicação, Elsa reforça, a todo momento, a importância do Espiritismo em sua vida. Como destacamos no título da matéria, para ela “a Doutrina Espírita é um grande canteiro que tem sementes sob toda a terra que o jardineiro, amoroso, faz o trabalho de regar”. Ela acredita que somos jardineiros do Senhor Jesus, o grande semeador de luz. “O nosso exemplo de vida cotidiano é que mostra quanto espíritas somos, o que fazemos para diminuir as nossas inclinações ou tendências. A nossa Doutrina de amor me dá o sustento nas minhas amizades”, salienta.

É com frases de carinho e otimismo como essas que Elsa Rossi nos concedeu uma entrevista exclusiva que marca o início de uma série de matérias que serão produzidas também com outros grandes nomes envolvidos na divulgação do Espiritismo.

O Consolador: Elsa, onde você nasceu?

Elsa:  Nasci em Ribeirão do Pinhal, no Paraná.

O Consolador: Em que cidade reside e por que se mudou para o atual domicílio?

Elsa: Moro em Londres, Inglaterra (UK). Mudei-me para a Inglaterra para trabalhar na divulgação da Doutrina Espírita.

O Consolador: Qual a sua formação?

Elsa: Fiz o curso superior em Belas Artes pela Faculdade Belas Artes de São Paulo, SP.

O Consolador: Que cargos ou funções você já exerceu no movimento espírita?

Elsa: Diretora do Departamento de Assistência Social Espírita da Federação Espírita do Paraná; presidente da Fundação Hildebrando de Araújo da Federação Espírita do Paraná; vice-diretora da Creche Josefina Rocha, também da Federação Espírita do Paraná.

O Consolador: Em que setor do movimento espírita você atualmente trabalha?

Elsa: Atuo na direção do Departamento de Unificação para os Países da Europa da Coordenadoria Europa do Conselho Espírita Internacional; Editora dos dois Boletins do Conselho Espírita Internacional, disponibilizados nos sites: www.spiritist.org e www.spiritismo.org. Atualmente no movimento espírita do Reino Unido, sou secretária da British Union of Spiritist Societies (BUSS).

O Consolador: Quando você teve o primeiro contato com o Espiritismo?

Elsa: O primeiro contato se deu aos 15 anos de idade, mas não aceitei a idéia. Depois, aos 24 anos, quando nasceu minha terceira filha, tive de aceitar a mediunidade de vidência, que explodiu, e eu não entendia o que acontecia, porque via e ouvia os mortos. Só então foi que aceitei ir para uma casa espírita, em Londrina e, com o senhor Rubens Denizard dos Santos, iniciei juntamente com meu esposo, Luis Rossi, já desencarnado, o estudo do livro “O Consolador”. Desde então, nunca mais parei de ir ao centro espírita.

O Consolador: Qual foi a reação de sua família diante de sua adesão à Doutrina Espírita?

Elsa: Meu esposo já era espírita, era eu que não aceitava. Mas isso se deu há 32 anos. A reação, portanto, foi ótima.

O Consolador: Dos três aspectos do Espiritismo – Científico, Filosófico e Religioso – qual é o que mais a atrai?

Elsa: Os três. Não tenho uma preferência exata e definida, mas pelo trabalho que fazemos aqui podemos notar que temos mais facilidade no meio nativo do país pela parte científica, filosófica.

O Consolador: Que autores espíritas mais lhe agradam?

Elsa: André Luiz, Emmanuel, Joanna de Ângelis, Yvonne do Amaral Pereira etc. Nossa! são tantos...

O Consolador: Que livros espíritas você considera de leitura indispensável aos confrades neófitos?

Elsa: “O Livro dos Espíritos”, sem sombra de dúvida, mais o “Nosso Lar”, “Há 2000 Anos”, “Renúncia”, “Paulo e Estêvão”. E por viver na Europa agora, a trilogia de Yvonne do Amaral Pereira: “O Cavaleiro de Numiers”, “O Drama da Bretanha” e “Nas Voragens do Pecado”, que são indispensáveis. Eles deveriam estar disponíveis em vários idiomas, assim como as obras da coleção “No Mundo Espiritual” de André Luiz.

O Consolador: Se você fosse passar alguns anos num lugar remoto, com acesso restrito às atividades e trabalhos espíritas, que livros pertinentes à Doutrina Espírita você levaria?

Elsa: “Pão Nosso”, “Caminho, Verdade e Vida”, “Fonte Viva”, “Vinha de Luz”, todos de Emmanuel, e as obras da codificação.

O Consolador: As divergências doutrinárias em nosso meio reduzem-se a poucos assuntos. Um deles diz respeito ao chamado Espiritismo laico. Para você, o Espiritismo é uma religião?

Elsa: No livro “O que é o Espiritismo”, Allan Kardec afirma no preâmbulo: “O Espiritismo é ao mesmo tempo uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática, ele consiste nas relações que se podem estabelecer com os Espíritos; como filosofia, ele compreende todas as conseqüências morais que decorrem dessas relações”. “O Espiritismo sendo independente de toda forma de culto, não prescreve nenhum deles, e não se ocupa de dogmas particulares, não é uma religião especial, porque não tem nem seus sacerdotes e nem seus templos.” “Eis porque sem ser, em si mesmo, uma religião, ele leva essencialmente às idéias religiosas, as desenvolve naqueles que não as têm e as fortifica naqueles em que elas são hesitantes.”

O Consolador: Outro tema que suscita geralmente debates acalorados, diz respeito à obra publicada na França por J. B. Roustaing. Qual é sua apreciação dessa obra?

Elsa: Desconheço a obra, não a li.

O Consolador: O terceiro assunto em que a prática espírita às vezes diverge está relacionado com os chamados passes padronizados, propostos na obra de Edgard Armond. Embora saibamos que no Paraná a opção já definida pela Federação seja tão-somente a imposição das mãos tal como recomenda J. Herculano Pires, qual é sua opinião a respeito?

Elsa: Concordo com o nosso Paraná, que é o que utilizamos aqui, pela simplicidade e alcance do trabalho.

O Consolador: Como você vê a discussão em torno do aborto? No seu modo de ver as coisas, os espíritas deveriam ser mais ousados na defesa da vida como tem feito a Igreja?

Elsa: Vejo, por meio da mídia, que se faz algo no Brasil e recentemente soubemos do encontro realizado em torno do tema, com debates, onde esteve presente a doutora Marlene Nobre e outros.

O Consolador: A eutanásia, como sabemos, é uma prática que não tem o apoio da Doutrina Espírita. Kardec e outros autores, como Joanna de Ângelis, já se posicionaram sobre esse tema. Surgiu, no entanto, ultimamente a idéia de ortotanásia, defendida até mesmo por médicos espíritas. Qual a sua opinião a respeito?

Elsa: Veja bem, não sou da área acadêmica e é um risco falar sobre algo que desconhecemos e de que só ouvimos falar. Mas penso, quando o Espírito precisa partir, é uma tristeza saber que as máquinas prendem-no no corpo, muitas vezes sendo observado por videntes esse desconforto do Espírito. Um corpo sem vida, suportado por máquinas, em doença terminal, cujo repouso esta sendo negado ao Espírito, requer mais consideração, estudos aprofundados e muita orientação pelo benfeitores. Um dia o meio laico entenderá isso também.  

“Na minha vida, a Doutrina Espírita está em primeiro lugar. Chegou-me de mansinho, com o nascimento de minha filha Giovana, isso há 32 anos”  

O Consolador: O movimento espírita em nosso país lhe agrada ou falta algo nele que favoreça uma melhor divulgação da Doutrina?

Elsa: Agrada-me muito o nosso movimento espírita no Brasil, mesmo porque é nele que tenho vindo buscar recursos energéticos e muitos aprendizados para poder dar conta da tarefa que nos cabe aqui fora. Contudo, eu diria que está existindo desperdício de tempo de alguns caros companheiros que ingenuamente entram em polêmicas desnecessárias. Costumo utilizar a frase já tão conhecida de todos: “O movimento espírita será o que dele fizermos, a Doutrina Espírita... ela é”! Portanto, concentrando-nos com sabedoria no Evangelho de Jesus aplicando-o em nossas vidas diárias, seja onde for e a hora que for, estaremos no caminho sempre certo e, com certeza, erraremos menos. Nosso caminho de cristãos é o Mestre, é Jesus.

O Consolador: Como você vê o nível da criminalidade e da violência que parece aumentar em todo o mundo e como nós, espíritas, podemos cooperar para que essa situação seja revertida?

Elsa: Começando pelo começo, tendo paz interior para poder refletir no que fazer de melhor e como agir em determinadas situações. Se não podemos mudar o mundo, em um momento, usemos nossos momentos para modificar o que está mais próximo de nós através de exemplos. Pelas nossas atitudes, podemos conquistar os adolescentes nas ruas, e na rua mesmo com ele conversar, levar uma camiseta “massa”, um boné “bacana”, depois convidar para ir à evangelização assistir a uma peça de teatro juvenil, depois biscoito, etc. Agora, se só criticarmos e não fizemos absolutamente nada, penso que nem devemos reclamar de nada mesmo.

O Consolador: A preparação do advento do mundo de regeneração em nosso planeta já deu, como sabemos, seus primeiros passos. Daqui a quantos anos você acredita que a Terra deixará de ser um mundo de provas e expiações, passando plenamente à condição de um mundo de regeneração, em que, segundo Santo Agostinho, a palavra “amor” estará escrita em todas as frontes e uma equidade perfeita regulará as relações sociais?

Elsa: Penso que milênios ainda temos para nos libertarmos do mal que ainda está enraizado na humanidade, para que a palavra amor seja a norma de conduta de todos...

O Consolador: Em face dos problemas que a sociedade terrena está enfrentando, qual deve ser a prioridade dos que dirigem atualmente o movimento espírita no Brasil e no mundo?

Elsa: A prioridade no Brasil é diferente dos demais países. Cada país tem a sua história cultural, passada de pai a filho. As guerras religiosas deixaram um rombo na crença em Deus, e, por isso, muitos têm ojeriza de falar em religião. Cada país, com sua cultura própria, tem uma realidade e uma necessidade diferentes. Com mais de nove anos vivendo aqui no Reino Unido, experienciando as mais diversas situações com amigos ingleses, somente agora que desperto para perceber que é mais fácil um inglês aceitar “O Livro dos Espíritos” do que  “O Evangelho segundo o Espiritismo”. Mas, depois de um certo tempo lendo “O Livro dos Espíritos”, pela sua coerência, ele aceita o Evangelho do mesmo autor, Allan Kardec. Isso para começar. Portanto, não dá para trazer o Movimento Espírita que se faz no Brasil para colocar dentro de outras culturas, sem ter de fazer um ajuste na forma, de modo a criar condições para que o terreno se fertilize.

http://www.oconsolador.com.br/14/entrevista.html


 

2007 UK Boletim Sir William Crookes

Entrevistando Elsa Rossi – Boletim Sir William - UK

 

Nossa querida Elsa é a atual Secretária da British Union of Spiritist Societies (BUSS), e Diretora do Departamento de Unificação para os Países da Europa, dentro da Coordenadoria Europa do CEI. Vice-Diretora do Grupo Espírita de Brighton – UK. É editora de dois Boletins do Conselho Espírita Internacional – o Boletim Geral e o Boletim Europeu.

 

Colunista do Jornal O Imortal - Paraná. É escritora de Livros Infantis e Manuais Administrativos Espíritas. Os manuais espíritas estão disponíveis, gratuitamente, em diversos idiomas nos sites:   www.elsarossi.com  - www.spiritist.org  - www.spiritismo.org

 

Portanto, não se furtem de entrar em contato com a Elsa para obter mais informações sobre o Espiritismo.

 

Como está se desenvolvendo o Espiritismo na Europa?

Queridos amigos do Boletim Informativo Sir William Crookes, podemos dizer que estamos em um momento maravilhoso da divulgação da Doutrina Espírita na Europa. Desde que decidimos trabalhar pelo Movimento Espírita na Europa em 1997, temos sentido esse crescimento, haja vista atendermos ao Departamento de Unificação para os Países da Europa, departamento esse da Coordenadoria Europa do CEI.

 

Quantos países na Europa contam com reuniões regulares?

Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Holanda, Itália, Noruega, Portugal, Suécia, Suíça, Reino Unido são membros do Conselho Espírita Internacional. Também existem grupos com estudos semanais na Áustria, Dinamarca, Luxemburgo, Polônia e Bielorussia. Outros com estudos quinzenais na Eslováquia e República Tcheca, além de contatos espíritas na Irlanda, Irlanda do Norte, Finlândia e Rússia.

 

A proximadamente quantos grupos Espíritas existem na América do Norte?

Filiados ao Conselho Espírita dos Estados Unidos, até onde temos notícias são em torno de 70, mas sabe- se há muitos mais.

 

Poderia mencionar algum país fora da Europa, América do Sul e Estados Unidos que mantêm um trabalho Espírita ativo?

Em Angola, a SEAKA - Sociedade Espírita Allan Kardec de Angola. Também Austrália, Nova Zelândia e Japão, com diversos grupos Espíritas. Temos notícia de grupo iniciante em Seoul na Corea do Sul.

 

É possível manter contato com esses grupos?

Quem desejar informação mais específica, por favor, pode nos procurar por e-mail: elsarossikardec@gmail.com

 

 E m todos esses grupos pelo mundo, existe somente a presença de brasileiros?

Muitos grupos são misturados e alguns têm somente nativos do país. Mas ainda a grande maioria dos grupos são fundados e dirigidos por brasileiros.

 

E m sua opinião, o que pode ser feito para acelerar o processo de divulgação do Espiritismo no mundo?

Fazer o que nos recomenda o Dr. Andrew Powell, psiquiatra do Royal College of Psychiatrists – não esconder o Espiritismo.

 

Quais são as dificuldades encontradas pelos vários grupos para a disseminação da Doutrina?

Uma das dificuldades encontradas é sem dúvida nenhuma a falta da literatura espírita na língua nativa.

Já na língua portuguesa essa literatura é riquíssima. Há muitas traduções para o francês e espanhol. Já temos também diversos títulos em inglês, inclusive obras de André Luis. Há línguas em que a obra espírita de base ainda não existe, mas que estão se preparando para tal, como recentemente o lançamento de O Livro dos Espíritos em húngaro e estônio.

 

Qual a sua avaliação do Movimento Espírita na Grã-Bretanha em relação aos outros países europeus?

Está caminhando, se fortalecendo, trocando informações com outros países, haja vista a Evangelização Infantil da BUSS, a realização de workshops e agora também o Primeiro Congresso Britânico sobre Medicina e Espiritualidade. De nossa parte, continuaremos empenhados em publicar obras espíritas traduzidas do português para o inglês, que é a nossa meta desde que aqui chegamos há mais de nove anos.

 

Como tem sido a disseminação da língua Esperanto?

O estudo do Esperanto por espíritas na Europa, quase não tem representatividade como gostaríamos, mas nós que somos esperantistas em nossos países fazemos a ponte para a tradução de obras do Esperanto para a língua nativa do país. Voltamos a dar o exemplo de O Livro dos Espíritos em estônio e húngaro que saíram da obra espírita em Esperanto. Entre outros materiais do CEI, a Turquia está, no momento, traduzindo o CONHEÇA O ESPIRITISMO para o turco, a partir do documento em Esperanto. Nosso contato com alguns países para receber notícias do Boletim do CEI se dão sempre em Esperanto.

 

Querida Elsa para finalizar essa nossa entrevista amistosa e informativa, gostaríamos que nos falasse um pouco sobre o Congresso Espírita que estará acontecendo nos dias 30 de junho e 1° de julho deste ano. E, desde já agradecemos a sua boa vontade em colaborar com este singelo trabalho na divulgação do Espiritismo.

 

Através deste conceituado Boletim de Divulgação do Espiritismo da SWCSS, quero aqui registrar o Convite para todos participarem do Primeiro Congresso Britânico sobre Medicina e Espiritualidade, na cidade de Londres, Grã-Bretanha, a realizar-se em 30 de Junho e 1 de Julho de 2007.

 

Será um evento conjunto entre a British Union of Spiritist Societies e a Associação Médico-Espírita Internacional, com o apoio do CEI, do Lar Fabiano de Cristo e da Vídeo Spirite. O Congresso será transmitido ao vivo pela TV CEI a todos os companheiros e irmãos de todas as terras, através do site www.tvcei.com 

 

Teremos a presença de cinco médicos espíritas brasileiros, a Dra. Marlene Rossi, Presidente da AME Brasil, e AME Internacional, Dr. Décio Iandoli Jr., Dr. Julio Perez, Dr. Fabio Nasri, Dr. Sergio Felipe de Oliveira.

 

Também, contaremos com as presenças dos médicos britânicos, Dr. Peter Fenwick, neuropsiquiatria do Royal College of Psychiatrists, Dr. Alan Sanderson, psiquiatra e vice-presidente do Spirit Release Foundation, Dr. Andrew Powell, psiquiatra e fundador do Special Interest Group on Psychiatry and Spirituality que funciona dentro do Royal College of Psychiatrists da Grã-Bretanha, e a presença de Guy Lyon Playfair, que trabalhou com Dr. Hernani Guimarães Andrade, o um dos maiores cientistas brasileiros, desencarnado há poucos anos. Estará presente, também Mr. Dagobert Goebel, da Alemanha, que fará demonstração de seu invento sobre o modelador biológico.

 

Neste ano de 2007, em que se comemoram os 150 Anos do Livro dos Espíritos, estão sendo realizados vários eventos em todos os países, lembrando aqui o 2o. Congresso Espírita Brasileiro em abril de 2007 e, também o 5º. Congresso Espírita Mundial a realizar-se em Cartagena em outubro de 2007.

 

Consultem nossos sites informativos, já citados acima, e nos auxiliem na divulgação do Espiritismo!

 www.medspiritcongress.org

 

http://www.sirwilliam.org/documents/Boletim%20Inf%202007%20pdf/Boletim_Inf_abril_2007.pdf

Entrevista RIE

ENTREVISTA COM ELSA ROSSI para a Revista Internacional de Espiritismo. 2004

 

1) Quantos países integram atualmente a Coordenadoria Europa do Conselho

Espírita Internacional? Quais e em quantos grupos espíritas?

10 paises membros oficiais.  REINO UNIDO, FRANÇA, SUECIA, SUIÇA, ESPANHA, PORTUGAL, NORUEGA, HOLANDA, ITALIA, BELGICA. Tem se registrado nas reuniões da Coordenadoria de Apoio aos Paises da Europa, a presença de representantes dos paises ainda nao membros como a Alemanha, Dinamarca, Luxemburgo, Estonia.

 

2) Esses grupos originaram-se sempre a partir de iniciativas brasileiras?

Podemos afirmar com certeza que nos paises da Europa: Noruega, Holanda, Suecia, Suiça, Alemanha, Dinamarca, Luxemburgo tiveram brasileiros na implantaçao do Movimento Espírita.

 

3) Há catalogação de quantos títulos espíritas, em diferentes idiomas, estão

editados na Europa da atualidade?

Existem livros espiritas editados diretamente nos seguintes idiomas: Sueco, ingles, frances, alemao, estonio, espanhol, italiano, frances, portugues, noruegues, tcheco, esperanto, alem de livros que foram traduzidos e editados à epoca de Kardec e que estao sendo atualizados, como no caso da Holanda, onde encontraram as 5 obras basicas e que estão já em um excelente processo de atualizadao e em brve serao publicados. Foram encontrados obras em dinamarques, e em finlandes, que tambem em futuro proximo, terao a sua atualizacao, dado ser uma escrita antiga.

 

4) Qual a maior dificuldade de instalação e funcionamento de uma instituição

espírita na Europa?

Local proprio e assiduidade dos participantes. Muitos grupos se formam com a presenca de brasileiros ou estudantes que tem uma passagem curta pelo grupo formado. Mas o mais importante são as bases, que sempre se formam com espiritas residentes.

 

5) Na sua opinião, quais os maiores progressos já alcançados pelo CEI na

Europa? a aproximação dos países, as reunioes que o CEI Europa e o CEI Geral realizam, trazendo a todos os representantes, informacoes preciosas, resgatando valores e obras espiritas dos Museus, Bibliotecas e antiquarios, fortalecendo os lacos de uniao entre todos e especialmente o Boletim Europa, que tem uma açao aproximativa, devido a ser uma ponte informativa entre todos.  Hoje, com o CEI, sente-se o fortalecimento de um ideal que jamais acabará, o de ter no CEI a certeza de que a marcha do movimento Espirita sempre tera continuidade num crescente ascensão.

 

 

6) No caso de um brasileiro ou pessoa oriunda de qualquer outro continente,

visitar ou mudar-se para a Europa desejando integrar-se a um grupo espírita,

a quem deve dirigir-se em busca de informações?

Sugiro visitar o web site do CEI Europa - www.isc-europe.org, ou visitar o web site do CEI geral  www.spiritist.org  onde o pesquisador tera informacoes de todos os países, seus centros espiritas e estara melhor assegurado.

 

 

7) Quais as expectativas pré e pós Congresso Mundial em Paris? 

Levar o conhecimento da Doutrina Esclarecedora a todos. Temos todos os meios em maos para divulgar a Doutrina Espirita neste ano de Bicentenario de nosso codificador, nosso querido Allan Kardec... é um ano especial...é um congresso especial...e uma festa de coraçoes....é uma festa dos espiritas....que nao percamos tempo de fazer a nossa parte nesta divulgacao - Fazer com que Kardec seja conhecido em todas as cidades, paises, locais...utilizemos de todos os meios possiveis, sem acanhamento...

Assim fazendo, preparemo-nos para a segunda parte...Preparemo-nos para receber em nossos grupos espíritas, centros espíritas, sociedades espíritas, o público que despertará e saberá que ao se aproximar das instituiçõesoes espíritas, terá o esclarecimento de que necessita. Aqui fora, existe a confusão ao se falar em Espiritsmo, de que estamos tratando de magia negra ou similar. Difícil tger acesso a mídia para informar sobre o bem, o bom e o belo. Porisso, vamos aroveitar este Congresso para esclarecer, informar a verdadeira definição e objetivos da Doutrina Espírita. Para isso, contamos com todos.

Não estaremos aqui quando acontecer os 300 anos de Allan Kardec...entao aproveitemos este momento para dar o nosso melhor, agora, neste Bicentenario. Divulgue, cante, fale, informe e venha para o 4º Congresso – Paris 2004. A festa é de todos nós. Na página do CEI está toda a informação sobre o Congresso , em 5 idiomas, colocada no ar agora em Janeiro de 2004. Visite a pagina, informe-se, e informe aos seus companheiros:  www.spiritist.org

 

 

8) Há um bom intercâmbio entre os países e grupos espíritas da Europa?

Sim. Tudo acontece mais lentamente. Aqui são diversos idiomas em um espaço menor do que o Brasil. Mas nota-se que as viagens de visitas que são feitas de um país a outro, a receptividade, a troca de informaçoes, são enriquecedores. Dentro do CEI Europa temos o Departamento de Integração, onde se pode visitar países, levando material do CEI entre outros e que o resultado tem sido muito bom. Com isso aproximou-se do CEI, Luxemburgo, Dinamarca. Temos por meta visitar este ano, a Finlandia entre outros.

 

 

9) Qual o principal item da Europa Espírita no relacionamento com o Brasil e

seu movimento? Nesta pergunta nao podemos deixar de lembrar o nosso querido e incansável amigo, orador das multidões, nosso Divaldo Pereira Franco, que a mais de 50 anos visita a Europa, trazendo seu contributo, incentivo na formação dos grupos, abrindo os caminhos para que se implantem grupos e permaneçam. Outros oradores brasileiros visitam a Europa. A maioria destes oradores que comparecem a Europa, tem prestado um excelente serviço.    Em Novembro, a presença dos conferencistas da AME-I Associação édico Espírita Internacional promoveu acontecimentos maravilhosos na Europa. O PRIMEIRO ENCONTRO MEDICO-ESPIRITA em BARCELONA - Espanha foi a abertura dos eventos que aconteceram em Italia, Alemanha, Franca e Reino Unido. Espera-se repetir eventos como esse, que traz aos agnósticos, leigos e cientistas de um modo geral, o lado científico das obras de André Luis, tão atuais quanto as últimas pesquisas das Universidades. Esse é um caminho mais fácil na Europa de se falar de Doutrina Espírita. vimos que a repercussão no meio medicos psiquiátricos foi de excelente aceitação porque explica uma série de questões, que eles próprios, cientistas do corpo, não conseguem entencer a ciência da mente.

 

 

10) A Sra. está há quanto tempo na Europa? E como integrou-se no movimento

espírita europeu?

Estou a 6 anos. Vim a convite de Janet Duncan. Em 1997 aconteceu a reuniao do CEI, em Paris e foram implantados as Coordenadorias da Americas e da Europa. Em abril de 1998 aconteceu em Londres a primeira reuniao da Coordenadoria de Apoio ao Movimento Espírita Europeu. Roger Perez, como Coordenador da Europa apoiou a sugestão de Janet Duncan em que o Boletim pudesse ser redigido e editado por mim. Assumi essa tarefa e não mais parei.  Já estamos por editar em março de 2004 o número 20.  Em 2001, em reunião na Bélgica, assuminos o Departamento de Integração aos Países da Europa e temos procurado visitar países e dar o nosso contributo. Neste período nasceu a Uniao Espírita Sueca, o Conselho Espírita Holandes, o Allan Kardec Luxemburgo, o GEEAK-Finlandia, o GEEAK-Denmark, entre outros.

 

11)  Em que instituição e país a Sra. está integrada e há quanto tempo?

Resido no sul da Inglaterra, em Brighton, onde trabalhamos com um pequenino grupo espírita; estamos integrados com os demais grupos espíritas de UK, e recentemente foi fundada um Núcleo da Associaçao Médico Espírita Internacional em Londres, AME-UK, por profisionais da área da saúde, e que tambem são espíritas.  Tivemos participaçao na fundação e pretendemos continuar dando o nosso pequeno contributo.

 

Devemos florescer onde fomos e estamos plantados. Com certeza o jardineiro mór de nossas vidas, nosso Mestre Jesus não nos deixa sem o alimento que nos faz crecer e florir. Façamos a nossa humilde parte. Tenhamos a certeza de que jamais estamos sós. Sejamos grupos espíritas na Austrália, nas Americas, no Japão, na Bielorrusia, onde estivermos. Estejamos com Jesus.

Muita paz a todos e até a proxima oportunidade. Grata aos amigos queridos da RIE, incansáveis divulgadores da Doutrina Espírita.

Elsa Rossi

2007 Revista Internacional de Espiritismo

Divaldo Franco no Reino Unido

Elsa Rossi

Depois de visitar 20 cidades em 10 países (vide páginas 332-333), o Reino Unido recebe mais uma vez e com muita alegria, o tão esperado orador e amigo Divaldo Franco. Com ele, o nosso querido “tio Nilson”. Foram dias de alegrias ímpares e aprendizados que nos enchem de esperanças para melhorarmos cada vez mais nosso espírito e nossa vida.

Na noite de 9 de junho de 2007, dia de sua chegada, houve a tradicional reunião privativa com dirigentes e trabalhadores dos grupos espíritas da Inglaterra, num total de 80 pessoas. No dia seguinte, Divaldo coordenou o Seminário “Valores Éticos na Vida Moderna”, para um público de 300 pessoas. O evento foi das 10 horas da manhã até às 3 horas da tarde. Os participantes, brasileiros e ingleses, ficaram encantados com tanta sabedoria e a tradução impecável de Ana Sinclair, que em 2008 completa 20 anos na tarefa de tradução direta a Divaldo para a língua inglesa. No intervalo, houve grande fila para receber autógrafos, como também cumprimentar o orador. Após o intervalo, Antonio Leal, trabalhador da British Union of Spiritists Society (BUSS), que é a federação espírita inglesa, apresentou em slide show contendo fotos inéditas da vida de Divaldo Franco, cedidas por Ana Spangler e Washington Oliveira. Em seguida, Denise Ferret entregou a Divaldo, em nome da BUSS, um troféu como símbolo de nossa gratidão pelo muito recebemos dele, homenageando-o pelos 60 anos de oratória e os 80 anos de existência nesta encarnação.

No dia 11 de junho partimos com Divaldo e Nilson para o condado de Devon, a convite do Devon Spirit, um grupo espiritualista na cidade de Brixham. Foram 4 horas de viagem de trem pelas paisagens inglesas, onde pudemos desfrutar de muito aprendizado na companhia de Divaldo.

Elizabeti Mckiblin, anfitriã e uma das organizadoras da palestra da noite, realizada no Berry Head Hotel Conference Room, recebeu a todos com braços abertos de amiga e irmã amorosa. Um público de 240 ingleses pôde ouvir Divaldo Franco discorrer sobre o tema “Caminhos pessoais para Deus”. O Devon Spirit também homenageou o orador e a querida tradutora Ana Sinclair.
No dia seguinte, terça-feira dia 12, realizaram uma reunião com 30 trabalhadores na sede do grupo. Estiveram também presentes trabalhadores das igrejas espiritualistas da região. Foram quase 3 horas de intenso aprendizado, sobre o tema “Relacionamento entre as pessoas e Deus”.

Os títulos em inglês dos livros de Divaldo e obras de Kardec e Chico Xavier foram muito bem recebidas pelo publico de Devon, aos quais não se têm fácil acesso.
Na noite de 13 de junho, quarta-feira à noite, outra palestra memorável: “O Homem frente a sua própria consciência”. Foram 120 pessoas, entre trabalhadoras e freqüentadoras dos Grupos de Londres, que puderam uma vez mais ter o privilégio de ouvir nosso Divaldo.

E assim, mais uma etapa de sua tarefa como nobre seareiro de Jesus, Divaldo deixa saudades e a alegria de saber que podemos contar com o seu retorno no próximo verão europeu. E que venha para as terras européias, sob um arco-íris de muita luz, esse amigo que tanto bem proporciona a todos nós.

Elsa Rossi - UK   elsarossikardec@gmail.com

http://www.oclarim.com.br/exterior/exte_07.htm

1997 Divaldo P. Franco na Grã-Bretanha

Entrevista to Ismael Gobi Setembro 2009

- ELSA PODERIA NOS FAZER UMA BREVE APRESENTAÇÃO DE SI?

Mãe de 3 filhos,  6 netos, com formação universitária pela Faculdade de Belas Artes de S Paulo, extensão em Curadoria de Museus pelo MAC-SP, escritora com 4 livros publicados sobre Espiritualidade para crianças e jovens,  alem de manuais para apoio ao trabalhador espírita.

Rotariana por muitos anos, também foi  Diretora da Avenida de Serviços a Comunidade.

 

2 - COMO CONHECEU O ESPIRITISMO?

Casei-me com o espírita Luis Nelson Rossi . Desde a infância via um espírito que para mim era Nossa Senhora. Casei-me na igreja católica, nela batizei os meus dois primeiros filhos e não tocava nos livros espíritas de minha sogra. Quando nasceu Giovana, a mediunidade da vidência ficou mais clara em mim e eu não entendia nada do que estava se passando e  aceitei ir ao Centro Espírita Nosso Lar em Londrina, no ano de 1975 e nunca mais sai da casa espírita.

 

 

3 - PODERIA NOS DIZER COMO FOI SUA IDA PARA A INGLATERRA?

Foi por sentir a necessidade de trabalhadores aqui, quando vim visitar Janet Duncan em 1997.

 

4 - QUAIS AS ATIVIDADES QUE DESENVOLVEU NO MOVIMENTO ESPÍRITA BRASILEIRO E AGORA NO EXTERIOR?

 

Enquanto no Brasil, era atuante voluntária da Federação Espírita do Paraná, sempre em contacto com Napoleão de Araújo e Elci, sua esposa. Embora já os conhecesse desde meus 17 anos a amizade se ampliou por ocasião da desencarnação de meu esposo Luis,  quando eles me deram grande e decisivo apoio. Imediatamente Napoleão que era o presidente da FEP me chamou para realizar as pesquisas históricas da Federação, trabalho que fizemos por algum tempo. Depois assumi como Diretora do Departamento do Serviço Assistencial Espírita, e viajamos, Sr. Jose Virgilio Góes, hoje vice presidente da FEP  e eu, pelo interior do Paraná, realizando Seminários. Paralelamente  a isso, fui convidada a assumir a Fundação Hildebrando de Araújo, entidade ligada a Federação Espírita do Paraná, sendo sua primeira presidente, à frente da qual fiquei por 5 anos, realizando  parcerias com instituições que visassem o apoio ao menor carente .

 

5 - COMO ENXERGA OS AVANÇOS DO ESPIRITISMO PELO MUNDO?

No atual momento creio que estamos em fase de propulsão. Tudo acontecendo muito rapidamente numa sensação de que eu estou atrasada com tudo, o tempo corre e concluímos que   não podemos perder tempo.  Estou ao lado do Conselho Espírita Internacional desde sua fundacao em 1992 na cidade de Madrid, e por hora estou como 2ª. Secretaria do CEI.  Às reuniões que temos, comparecem representantes de vários países. O CEI já organizou vários Seminários para preparação de trabalhadores e Encontros com trabalhadores, estimulando aos países  organizarem seus próprios grupos há anos. Recentemente em junho e julho tivemos,  respectivamente,  encontros em Liege, na Bélgica, e em Brasília.

No Boletim trimestral que publicamos, na qual sou a editora, trazemos noticias de todos os países membros ou ainda não membros, desde 1999. Este boletim pode ser obtido a qualquer momento, buscando o site do Departamento Europeu do CEI – www.isc-europe.org 

 

 

6 - HÁ NÚCLEOS ESPÍRITAS NO EXTERIOR DIRIGIDO POR ESPIRITAS LOCAIS? ONDE?

Sim, muitos. Ate onde temos noticias esses grupos existem,  dentre possíveis outros,  no  Japão, Bélgica, Portugal, Espanha, Reino Unido, Paraguai, Polônia, Franca, Suíça, Argentina, Chile, Peru, México, Belarussia, Estônia, Hungria, Finlândia, Guatemala, Cuba. Mas ainda é comum em alguns países algum brasileiro iniciar o Evangelho no Lar, convidando um e outro para, dentro de algum tempo, fazer surgir mais um grupo, como, por exemplo, os ocorridos na Irlanda, Singapura, Nova Zelândia, Pais de Gales, Dinamarca, etc.