elsarossi art & tales

Children are our Future.

O Boneco de Neve do Chapeu Azul


A todas as Crianças do mundo,

Um Feliz natal de muita luz e paz. Nao imorta se seu natal sera simples ou com muitos brinquedos. Lembremos das crianças que se encontram nos hospitais e que tambem sorriem no Natal, crianças que se encontram nas favelas, e que nos seus coraçõezinhos infantis, sabem que o Natal é Jesus quem aniversaria.

Nosso maior presente é o Amor que Jesus nos presenteou.

 Nossos parabens a todas as crianças que batem palmas a Jesus com muito carinho.

 Nós amamos Jesus porque Ele nos ensinou a amar a todos.

 Feliz Natal

Elsa Rossi.

2008

Elsa Rossi

elsarossikardec@gmail.com

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

www.elsarossi.com 

Títulos

1- Livro de prece para crianças

2 - Perguntas de Maria Vitoria

3 - O Grilo que Cantava Parabens

4 - A Aranha Risonha

5 - Gabriela na Janela

6 - A Festa das Formas

 7 - O Jardim Encantado

8 - A Minhoca Dorminhoca

9 - As Boas Ações dos Animais!

10 - Vitinho e os Elogios

11 - Lily e o Sorvete de Caramelo

12 - Julia e a Natureza

13 - O Boneco de Neve do Chapeu Azul.

14 - Camila e Caio.docx

Agradeçamos a Deus por já conquistarmos a condição de quem perdoa e entende...
quando muitos ainda estão na condição de ofender e magoar e são necessitados do perdão e entendimento. E.R.

Elsa Rossi

elsarossikardec@gmail.com

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

www.elsarossi.com

O Boneco de Neve do Chapeu Azul.

A todas as Crianças do mundo,

 Um Feliz natal de muita luz e paz. 

Não imorta se seu natal sera simples ou com muitos brinquedos. Lembremos das crianças que se encontram nos hospitais e que tambem sorriem no Natal, crianças que se encontram nas favelas, e que nos seus coraçõezinhos infantis, sabem que o Natal é Jesus quem aniversaria.

 Nosso maior presente é o Amor que Jesus nos presenteou.

 Nossos parabens a todas as crianças que batem palmas a Jesus com muito carinho.

 Nós amamos Jesus porque Ele nos ensinou a amar a todos.

Feliz Natal

Elsa Rossi.

2007

  

Elsa Rossi

elsarossikardec@gmail.com

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

www.elsarossi.com

 http://www.freewebs.com/elsarossi/Bone Neve Chapeu Azul.doc

 

 

1- Livro de prece para crianças

Meu primeiro Livro

Aprendendo a fazer Preces

 

 

Recadinho aos Pais.

 

 É muito importante que a criança desde a infancia comece a ter um contacto com Deus e conheça a Jesus.

 

Os governantes obrigam os pais a dar a instrução aos seus filhos; os pais por sua vez, dão-lhes a educação moral, preparando-os para  vida.

 

Este pequeno livro contendo uma prece a cada situação ou a cada dia,  estimula a criança a aprender a orar, a conhecer a facilidade do diálogo com Jesus e a te-Lo bem pertinho de seus corações. 

 

Com o tempo, a criança conversará com Jesus, com as palavras do seus próprios coracõezinhos.

 

Elsa Rossi

Conteudo

Minha Prece Matinal

Conversa com Deus

Aprendendo o Pai Nosso

Prece a Jesus

Meu Anjo Guardião

Pelo Meus Pais

Jesus no Coração

Pela minha Avó

Pedindo Desculpas

Pelos Meus Tios

Pelas Plantas

Pelo Meu Papai

Pelo Cachorrinho Doente

Pela Vizinha

Pelo Dia das Mães

Pela Professora

Pelos Irmãozinhos

Pelos Dias de Sol

Pela Saude

Pela Paz -1-

Pela Paz -2-

Pelo Amigo Doente

Pelo Amor no Mundo

Pela Viagem de Férias

Pelos Amigos que Voltaram ao Plano Espiritual

Pela Minha Saúde

Pelo Meu Gatinho Doente

Prece Pelo Meu Pai

Prece de Gratidão

Prece de Agradecimento

Prece pela dificuldade

 

Aprendendo a Orar

Livro de preces para crianças.

Elsa Rossi

 

 

1 - Minha Prece Matinal

Querido Jesus!

Muito obrigada pela noite tranquila, pelos bons sonhos que eu tive.


Obrigada pelo dia lindo que amanhece.

 

Queria te pedir meu querido Jesus que proteja a mamãe, o papai, os meus irmãozinhos, todos nós neste dia.


Eu sei meu querido amigo Jesus, que quando conversamos contigo logo de manhã cedo, o nosso dia fica bem melhor!


Obrigada Jesus por nos protejer no dia de hoje.

 

 

2 - Querido Deus!

 

Hoje papai fez a oração do Pai Nosso.

 

Eu gostei tanto, que quero aprender a orar como o papai e a mamãe!

 

“Deus eu já sei que voce é o  Pai de todos nós.

Já aprendi tambem que voce está em todo lugar.

Então quero pedir, Deus, que voce proteja todos os dias, as crianças que não podem ir para a escola, que não tem livros, lápis e cadernos e que são muito pobres.

 

Ajude todas elas, amigo Deus, para que elas não fiquem tristes por causa disso.

 

Muito obrigada Deus, por ajudar a todas as crianças pobres do mundo.

 

 

3 - Minha primeira Prece do Pai Nosso!

 

Senhor Deus, papai me disse que é muito importante aprender a orar o Pai Nosso, mas que não é para decorar, mas para orar com o meu coração!

 

“Pai Nosso que estais no céu,

Santificado seja teu nome!

Venha o teu reino!

Faça-se a tua vontade

Assim na Terra como no Céu!

Dá-nos o pão de cada dia

Perdoa as nossas dívidas

como perdoamos aos que nos devem,

Perdoa as nossas ofensas, como perdoamos aos que nos ofenderam

Não nos deixes entregues à tentação,   mas livra-nos do mal.

Que assim seja!”

 

4 - Prece à Jesus.

 

 

Querido Jesus!

 

Queria pedir que me ajudasse a ser sempre uma criança obediente aos meus pais e professores.

 

Queria pedir tambem, querido Jesus, sua ajuda para que eu não reclame mais, quando minha mãezinha me pedir para eu apanhar os meus brinquedos espalhados pelo chão e para eu  organizá-los dentro das caixas e gavetas.

 

Peço tambem, Jesus que abençõe o meu paizinho e a minha mãezinha.

 

Muito obrigada querido Jesus!

 

 

 

5 - Prece ao Meu Anjo Guardião

 

 Meu querido Anjo Guardião.

 

Sou muito feliz porque sei que voce me protege de noite e de dia.

 

Quando fico triste,

penso em voce e me alegro.

 

Quando fico sózinho em casa, sinto sua presença e não fico com medo.

 

Sei que voce foi enviado por Deus para me proteger.

 

Muito obrigado meu

querido Anjo Guardião.

 

 

6 - Prece pelo meus pais.

 

 Deus amoroso e bom!

 

Muto obrigada por ter me dado nascer neste lar com pais tão amorosos e cuidadosos.


Eles são os meus melhores amigos.

 

Sempre se preocupam comigo e fazem o melhor que podem para que eu cresça saudável e com boa educação.

 

Por favor, meu Deus, proteja meu pai e minha mãe!

 

 

 7 - Prece à Jesus!

 

Querido Jesus!

 

Papai chama voce de Irmão Maior.

Eu acho isso tão interessante.

 

Sou uma criança muito feliz porque sei que voce mora no meu coração.

 

Aprendi que voce é o maior exemplo de amor que temos na Terra.

 

Queria que soubesse que sempre penso em voce, meu querido Jesus e nunca quero que voce fique triste por nada, porisso sou uma criança que quero aprender a amar a todos em seu nome.

 

Obrigada por nos amar tanto, Jesus!

 

 

8 - Prece pela minha vovó.

 

 Querido Deus!

 

A minha avó é a melhor avó do mundo.

Ela está sempre de bom humor e me ajuda nos deveres mais difíceis da escola.

 

Queria que o senhor Deus ajudasse a minha avó a não ficar doente e não ir morar longe daqui de casa, porque eu amo muito a minha avó.

 

Por favor, Senhor Deus, proteja a minha avó sempre.

 

Muito obrigada querido Deus!

 

 

 

9 - Prece para pedir desculpas!

 

Querido Jesus!

 

Queria pedir desculpas por hoje eu ter brigado com meu irmão mais velho.

 

Eu sei que se eu pedir desculpas ao meu irmão e não fazer isso novamente,  ele vai me desculpar e voce, meu querido Jesus, vai me perdoar tambem.

 

Estou tentando não ficar bravo com o meu irmão, mas as vezes eu não consigo.

 

Muito obrigado querido Jesus por ajudar-me a não brigar mais com o meu irmão e com a minha irmã.

 

 

  

10 - Prece pelos meus tios.

 

 Senhor Jesus!

Aprendi a orar por todos os membros da minha família.

 

Eu queria pedir especialmente  pelos meus tios que são muito queridos e muito amigos daqui de casa.

 

Sempre ajudam os meus pais e então, querido Jesus, queria que pudesse ajudá-los com bastante saúde e felicidades.

 

Muito obrigada Jesus, por proteger os meus queridos tios.

 

 

  

11- Prece pelas plantas da mamãe.

 

Querido Jesus!

 

Hoje a mamãe ficou tão feliz porque a roseira que ela cultiva com tanto carinho, desabrochou dois botões de rosas.

 

Então querido Jesus, quero pedir para que a roseira fique sempre perfumada e que mamãe possa sempre ser muito feliz.

 

Por favor, Jesus, proteja todas as flores do jardim da mamãe.

 

Muto obrigada Jesus por me atender.

 

Eu fico muito feliz.

 

 

12 - Prece pelo meu papai.

 

Meu querido Deus!

 

Por favor, proteja o meu papai onde ele estiver, no trabalho, dirigindo, viajando.

 

Ele é o melhor pai do mundo e tem muita paciência com meus irmãozinhos pequenos.

 

Mamãe disse que ele trabalha bastante, para poder dar um bom estudo para nós.

 

Querido Deus, quando eu crescer, eu vou ajudar o meu papai!

 

Obrigada meu Deus,

por proteger o meu papai!

 

 

 

13 - Prece pelo meu cachorrinho que está doente.

 

Querido Jesus!

 

O meu cachorrinho está doente e a mamãe não deixa a gente ficar perto dele até ele melhorar.

 

Eu gosto tanto dele e queria pedir ao amigo Jesus para ajudar o meu cãozinho ficar bom bem depressa.

 

A mamãe disse que é muito sério o que ele tem, mas eu confio que voce, querido Jesus, vai ajudá-lo da melhor forma que seja bom pra ele.

 

Obrigada Jesus por ajudar o meu cãozinho.

 

 

14 - Prece pela vizinha da minha avó.

 

Querido Jesus!

 

Minha avó me disse que temos de orar pelos que estão doentes.

 

Eu ouvi minha vó dizer que a vizinha dela está no hospital.

 

Eu queria pedir ao amigo Jesus para ajudar a vizinha da minha avó a melhorar.

 

Queria pedir para ela não ter dor e ficar boa logo para vir pra casa dela.

 

Obrigada querido Jesus por ajudar a vizinha da minha avó a ficar bem de saúde de novo.

 

 

15 - Prece pelo dia das mães.

 

Querida mãe de Jesus.

 

Eu sei que seu nome é Maria de Nazareh.

 

Eu quero agradecer a voce, por ajudar a todas as mães do mundo.

 

Peço que possa proteger sempre a minha mamãe e a minha vovó.

 

O dia das Mães é tambem o seu dia!

 

Papai diz sempre que Jesus é o nosso melhor amigo de luz

que temos em nossa vida.

 

Muito obrigada por ser a Mãe de Jesus.

 

 

 

16 - Prece pela minha professora!

 

 Querido Deus!

 

Peço ao querido Deus que ajude a minha professora, ela é muito querida.  Algumas vezes ela dá uma bronca em todos nós.

 

Peço que ela tenha bastante paciência com todas as crianças e que ela possa sempre estar bem de saúde e com muita disposição para acompanhar as nossas peraltices e brincadeiras.


Peço tambem que ela não dê os testes muito difíceis no dia dos exames.

 

Por favor, Meu Deus, proteja a minha professôra!

 

 

 

17 - Prece pelos meus irmãozinhos.

 

Querido Jesus!

 

Hoje quero pedir especialmente pelos meus irmãozinhos menores e pelo meu irmão mais velho.

 

Jesus, voce pode me ajudar a fazer com que o meu irmãozinho menor não estrague os meus brinquedos e não rabisque os meus cadernos da Escola.

 

Ele é pequeno e não entende mas as vezes ele é muito chato,

mas eu amo muito ele.

 

Por favor, meu amigo Jesus, proteja os meus irmãozinhos.

 

 

 

18 - Prece pelos dias de sol!

 

 Querido Deus!

 

Mamãe sempre me diz que temos de agradecer a Deus pelos dias lindos de sol e tambem pelos dias de chuva.

 

Os dias lindos de sol me fizeram lembrar de dizer a voce, meu Deus, muito obrigada pelos lindos dias de sol.

 

A gente acorda bem cedo e com boa disposição pra ir à escola bem feliz, sob o sol quentinho.

 

Muito obrigada meu Deus pelos lindos dias de chuva e lindos dias de sol!

 

 

 

19 - Prece para que eu esteja sempre com saúde!

 

 Querido Deus!

 

A vovó diz sempre que a maior riqueza que temos é a nossa saúde.

 

Então meu Deus, quero pedir que possa sempre me conceder muita saúde para eu poder crescer forte e poder ajudar a todo mundo que for mais necessitado do que eu.

 

Eu sei que vou poder fazer isso quando eu for grande.

 

Por favor, meu Deus, me ajude a ser sempre muito saudável.

 

 

20 - Prece pela Paz.

Parte –1 -

 

 Senhor Jesus!

 

Eu não gosto das guerras.

 

Então eu vi papai orar e estou fazendo o mesmo que  ele, mas com as minhas palavras.

 

Eu ainda não sei orar direito, estou aprendendo.

 

Amigo Jesus!

 

Que a sua luz possa iluminar os corações dessas pessoas que fazem as guerras.

 

 

 

21 - Prece pela Paz.

Parte –2 -

 

Querido Jesus!

 

E nem sei porque as pessoas fazem  guerras, isto é uma coisa muito ruim.

 

Por favor, Jesus querido, não deixe os homens gastarem dinheiro com as guerras, porque assim eles nem precisam gastar dinheiro para ter a Paz.

 

Muito obrigada Jesus por ajudar o mundo a ter Paz!

 

 

 

  

        22 - Prece pelo meu amiguinho que está doente.

 

Querido Jesus!

 

Eu gosto de orar pedindo ajuda a voce.

 

Sei que voce, meu querido Jesus

sempre me atende.

 

Então, quero lhe pedir pelo meu amiguinho que está doente e não está indo a escola.

 

É o meu melhor amigo. Será que voce pode ir lá onde ele está e curar ele?

 

Eu sei que sim,

meu querido Jesus!  então eu quero lhe agradecer por voce ajudar o meu amiguinho a ficar bom logo.

 

 

23 - Prece pelo Amor no Mundo.

 

Querido Jesus!

 

 

O papai sempre começa a orar pedindo proteção para ao mundo.

 

Então eu quero fazer que nem o papai. Quero pedir para que o mundo seja protegido e que o amor cresça no coração das pessoas.

 

Que o amor seja o sorriso de todos, seja a alegria da vida e que assim, todos possam ser bons vizinhos e viver em harmonia.

 

Por favor, Meu Jesus, ajude o mundo a progredir em Amor.

 

 

24 - Prece pela a viagem de férias.

 

Querido Deus!

 

Vamos sair em viagem de férias e eu queria pedir a voce bondoso Deus ajude a todos nós a termos uma viagem tranquila.

 

Que todos na estrada possam ser protegidos para que não hajam acidentes, nem problemas.

 

Por favor, Meu Deus ajude a todos a terem calma e paciência nas estradas.

 

Muito obrigada meu Deus por nos ajudar em nossa viagem de férias.

 

 

 

25 - Prece pelos amiguinhos que retornaram para o mundo espiritual.

 

Querido Jesus!

 

Estou um pouco triste.

Meus 2 melhores amiguinhos partiram de volta para o mundo espiritual e  mamãe disse que eles continuam vivos.  Mamãe falou tambem que eu posso orar por eles, porque assim eles ficam felizes.

Jesus, eu quero que meus amiguinhos fiquem felizes sempre.

 

Por favor, Jesus ajude aos meus amiguinhos a que eles continuem felizes como eles eram felizes quando eles vinham brincar no quintal de minha casa.

 

Muito obrigada Jesus por ajudá-los

 

26 - Prece para eu melhorar.

 

Querido Jesus!

 

Hoje não fui para a escola porque mamãe disse que eu não estou bem de saúde.

 

Mamãe leu uma mensagem do livro de oração e passou a mão na minha cabeça e me deu a água fluidificada para eu tomar o remédio.

 

Ela disse que voce, querido Jesus vai me ajudar a ficar bom logo, para eu poder ir para escola e poder ir brincar com meus amiguinhos.

 

Obrigada Jesus por me ajudar a ficar bom de saúde.

 

 

27 - Prece para o meu gatinho doente

 

Querido Jesus!

 

Meu gatinho gosta de brincar e faz a gente rir bastante.

 

 Hoje ele não está bem!  Amanheceu triste e não quis comer nada.

 

Papai levou-o ao veterinário.

Eu sei que ele vai ficar bom.

 

Minha mãe disse que nós podemos orar pelos animais. Mamãe disse tambem para não ficarmos em cima dele, para ele ter um tempo para melhorar.

 

Estou orando a voce, meu querido Jesus, para pedir por favor, ajude ao meu gatinho a ficar bom logo.

 

28 - Prece para o meu papai.

 

 

Querido Deus!

 

Hoje papai estava triste. Ficou muito tempo fazendo as contas. Eu ouvi ele dizer para a mamãe que a vida está difícil.

 

Eu acho a vida tão fácil, tão gostosa, mas se ele falou, é porque é dificil para ele.

 

Queria ver com voce, querido Deus, se voce pode ajudar o papai a não se preocupar muito com as contas da casa, e ajudar a ele para melhorar no emprego, para que ele ache a vida fácil, como eu acho.

 

Obrigada meu Deus, por ajudar o meu papai a ficar menos triste.

 

29 - Prece de gratidão.

 

Querido Jesus.

 

Ontem eu orei a Deus, que é nosso Pai, para ele ajudar ao papai a ficar menos triste.

 

Deus atendeu o meu pedido, pois papai hoje chegou do trabalho sorrindo bastante, muito feliz. 

 

Eu sei que Deus ajudou ele, porque papai conseguiu um trabalho melhor e assim não terá mais problemas para pagar as contas.

 

Quando voce falar com Deus, querido Jesus, dá um abraço n’ Ele por mim.

 

Obrigada Jesus!

 

 

30 – Prece de Agradecimento

 

Querido Jesus!

Estou tão feliz! Sei que conversar contigo me faz bem e que eu posso conversar contigo, mesmo que eu não fale nada. Voce escuta o que eu falo com meu coração. Porisso queria Te agradecer Querido Amigo Jesus, por ter tanta paciencia comigo. Mamãe as vezes quando está  muito atarefada e eu e meus irmãozinhos fazemos bagunça, diz assim – Só Jesus Cristo mesmo pra aguentar voces. Eu entendo minha mãe e sei que Voce, Jesus me entende.

Antes eu não entendia isso, agora entendo e procuro não deixar minha mãe preocupada com minhas bagunças. Eu e meus irmãos arrumamos tudinho na hora.

E ela fica feliz.

Obrigada Jesus por me entender!

 

 

 

31 – Prece pela dificuldade

 

Ontem vi quando papai e mamãe estavam sentados depois do jantar lendo um monte de papeis. Ouvi quando mamãe falou que estavam fazendo as contas pra pagar as contas.

Interessante isso. A gente brinca de fazer de conta, mas não é a mesma coisa. Ouvi quando papai dizia que a situação estava difícil de novo.

E eu vejo tudo fácil.

Por favor, meu Querido Jesus, ajude o papai a ver tudo fácil que nem eu vejo, assim ele não fica preocupado com a vida difícil e pode ficar mais tempo comigo, mamãe e meus irmãozinhos.

Eu sei que voce meu Querido Jesus sempre vai proteger a minha família. Eu já aprendi a orar por todos nós.

Fico muito feliz porque eu já sei orar.

Agradeço muito voce, meu Jesus!

 

 

2 - Perguntas de Maria Vitoria

? ? ? ? ? ? ?

                                  

                                                   Elsa Rossi       

 

Maria Vitoria era uma graciosa menininha, com o rosto muito bem torneado, pele clara.  Seus cabelos eram louros e compridos.

 

Tinha uma franja espessa sobre a testa, sardas no rosto.

Seus olhos azuis eram como duas estrelinhas sempre brilhantes.

 

Sua altura se destacava das demais menininhas de sua idade.  

Contava Maria Vitoria com 5 aninhos!

 

Gostava de esportes e estava sempre a correr.

 

Enquanto corria no parque, ora indo ao escorregador, ora tentando pegar as gaivotas, seus cabelos dourados esvoaçavam ao vento.

 

Até aquele momento, não se tinha conhecimento de quem fizesse mais perguntas do que ela.

 

Era un anjo perguntador, como sua avó Vanda a chamava.

 

Quase todos os finais de semana Maria Vitoria ia para a casa dos jovens avós, dona Vanda e seu Carlos.

 

A pequena Maria Vitoria era o xodó da família.

 

Certo dia, o seu Carlos resolveu gravar todas as perguntas que a netinha fazia. Mesmo quando saíram pra passear, ele levou o pequeno gravador e acionava-o sempre que Maria Vitoria fazia pergunta.

 

-         Vovô, posso fazer uma pergunta?

 

-         Sim, minha querida! (ligando o gravador).

 

Naquela tarde, depois do almoço, Vovô Carlos e Vovó Vanda, levaram Maria Vitoria ao zoológico.

 

No jornal local fora noticiado que no Zoológico nascera um filhote de hipopótamo e Maria Vitoria queria ir ver o filhotinho que era bem grandão!

 

- Vovô, porque o hipopótamo pode ficar tanto tempo dentro da água e eu não posso?

 

-Vovô, porque o tamanduá é tão grande e só come formigas?

 

-Vovô, porque aquele bicho engraçado tem pelos, cauda de peixe e bico de pato?

 

- Aquele bichinho é o o ornitorrinco, Maria Vitória.

 

-Vovô, quem pintou o tigre?

 

-Vovô, porque as estrelas do céu não caem?

 

-Vovô, quem fez isso, quem fez aquilo, etc...?

 

Eram tantas perguntas, tantas perguntas que logo a fita do gravador estava completa.

 

Vovó Vanda e vovô Carlos procuravam responder todas as perguntas de Maria Vitoria.

 

Ela tinha muita energia e uma vontade imensa de saber e conhecer todas as coisas...e era ainda tão pequenina.

 

Maria Vitória meditava nas respostas do vovô e da vovó, pensava... pensava e não se esquecia das respostas.

 

Certa vez, após retornarem do passeio que haviam feito ao Aquário Municipal que havia sido inaugurado naquela semana, Maria Vitória estava mais pensativa do que nunca. Fizeram a viagem de volta em silêncio. Tão pensativa estava. 

 

Vovó Vanda ficou preocupada e pôs a mão na testa da netinha para ver se ela estava bem, se não estaria com febre.

 

Em seguida, Maria Vitória perguntou:

 

-         Vovó, porque voce pos a mão na minha testa?

 

Vovó sorriu. Pelo tom de voz da netinha fazendo mais uma pergunta, vovó Vanda percebeu que ela estava muito bem.

 

Falou vovó Vanda:

 

-   Minha querida, voce estava silenciosa por mais de 30 minutos e eu  fiquei preocupada.

 

-   Ora vovó, disse Maria Vitória. Eu estava pensando em todas as respostas que voce e vovô me deram. Vovô é tão sábio, sabe tudo o que eu ainda não sei.

 

-                     Vovô falou que Deus é o Criador de todas as coisas, de todos os peixes lá do aquário, tão lindo e coloridos, de tudo o que a gente vê.

 

-         Eu quero conhecer Deus, vovó, eu quero vê-lo, posso?

 

-         Oh, minha netinha querida! Deus está dentro de seu coração. Quanto mais voce se portar bem, amar as pessoas, ser boa para com os animais, ser obediente, caridosa, atenciosa, boa filhinha para seus pais, não brigar com os amiguinhos na escola, mais perto voce ficará de Deus.

 

-         Voce vai crescer, estudar bastante para poder ajudar mais ainda as pessoas, mas fácil será para voce entender Deus e ficar mais perto d’Ele.

 

-         Oh, vovó! Vai demorar pra acontecer isso?

 

Vovó Vanda respondeu:

 

-         Não, minha querida netinha!

 

-         Deus já está com voce desde muito antes de voce renascer aqui na Terra, ser filhinha do papai e da mamãe, ser nossa netinha querida. Deus criou voce.

 

Se voce ainda não conhece Deus, com certeza ele conhece muito bem a voce!

 

Maria Vitória abraçou a vovó com tanto amor, beijou-lhe a testa.

 

Nisso vem aproximou-se o vovô Carlos, que vendo as duas abraçadas, agradeceu a Deus a presença da netinha em suas vidas.

 

Ele, estaria ali, pra responder a todas as perguntas de Maria Vitória, que seria uma vitoriosa na vida!

 

FIM

 

©

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

 www.elsarossi.com

Elsa Rossi

elsarossikardec@gmail.com


3 - O Grilo que Cantava Parabens

O Grilo que cantava

“parabens pra voce”

 

 

Era uma vez, numa linda tarde de verão, havia uma festa no meio de um belo jardim, cheio de plantas verdinhas e flores coloridas.

 

A família de Aninha estava realizando a festa de comemoração dos seus 6 aninhos.

 

Aninha estava vestida toda de cor de rosa com purpurina dourada.

 

Era uma fantasia de fadinha, com uma vara de condão, que tinha uma estrêla dourada na ponta.

 

Os amiguinhos de Aninha tambem estavam vestidos com fantasias bem alegres, coloridas e diferentes.

 

A pequena Aninha estava toda dengosa e a todo momento recebia abraços dos priminhos e dos amiguinhos da Escola. Iniciava Aninha o primeiro ano curso primário.

 

Um de seus amiguinhos, o Gustavo, estava vestido com uma fantasia do Grilo Perneta. Ele tinha 7 anos e era levado da breca. A toda hora inventava pequenas traquinagens e todos riam bastante. Ninguém ficara quieto ou triste perto de Gustavo. Ora estava aqui fazendo mágicas, ora estava ali fazendo piruetas.

 

De repente, Aninha ouve um chamado que vinha do canto do jardim, de tras das samambaias gigantes que sua mãe havia trazido do Amazonas!

 

-“Aninha, vem cá um instante”! Era a um chamado de Gustavo.

 

Não foi somente a Aninha que correu até o local, mas os demais amiguinhos. Ninguem queria perder as brincadeiras de Gustavo.

Correndo as crianças chegaram até as samambaias.

 

- Que será que o Gustavo está aprontando?

Falou Mariana falou ao ouvido de Aninha.

 

-Não tenho a menor ideia! - respondeu Aninha.

 

Vamos com cuidado, pois ele pode ter apanhado uma pererequinha e vai por no cabelo da gente.

 

E colocando-se em pé, bem ereta, erguendo seu bracinho, Aninha falou sorrindo:

 

- Mas com a minha varinha mágica, eu vou transformar a pererequinha numa princezinha, falou brincando, a Aninha.

 

Todos se aproximaram de Gustavo.

 

Voces podem imaginar o que Gustavo estava fazendo?

 

Gustavo encontrara um Grilinho Verde, e não era dos pequenos. Fazia um barulho ensurdecedor, o grilinho.

 

Sorrindo muito, Gustavo brincando, falou aos amiguinhos: Aninha, Mariane, Luis, Fabio, achei um Grilinho que canta e não é perneta...

 

Falou Gustavo: Aninha, escute... ele está cantando parabéns pra voce.

 

Nisso, o grilinho começou: Criiii...Criiii...Criiii... e todos sorriram.

 

É mesmo, disse Fábio que era o menorzinho da turma.

 

Fábio acreditava em tudo o que Gustavo falava e Aninha estava sempre esclarecendo ao Fábio sobre as brincadeiras de Gustavo.

 

- É brincadeira do Gustavo, falou Aninha ao Fábio.

 

Gustavo voltou a dizer:

 

-   Aninha, o grilinho está cantando parabens  pra voce! 

-   Quer ver, Aninha?

 

- Ora essa, Gustavo, imagine se um grilo vai cantar parabens!

 

- Quer ver Aninha?

 

Aninha disse:

-Está bem! Quero ver!

 

Gustavo ficou em pé, fez uma posição como se fosse um “mágico”, arrumou a casaca da fantasia de Grilo Perneta que ele usava e batendo palmas falou:

 

- Vamos Grilinho, cante parabens pra Aninha!

 

E novamente o pequeno grilo fez: Criiii...Criiii...Criiii...

 

Aninha arregalou os olhos e pensou que Gustavo estava realmente  falando com o pequeno grilo e o bichinho o atendia.

Neste momento, Gustavo tambem se assustou mas não disse nada aos demais, que só observavam o que estava acontecendo.

 

Gustavo estava surprêso pela coincidência, ele tambem nem tinha ideia de que o grilinho iria cantar, como que atendendo ao pedido dele.

 

- Faz de novo, Gustavo, pediu Fábio.

 

Ãhn..ãhn...fez Gustavo se ajeitando dentro da fantasia.

 

-   Vamos tentar, mas pode ser que o grilinho esteja cansado e não mais queira cantar.

 

Aninha e seus amiguinhos estavam curiosos para ouvir uma vez mais esse Grilo Falante, ou melhor Grilo Cantante.

 

Vamos la, Grilinho, disse Gustavo! Cante parabens pra Aninha!

 

Criiii...Criiii...Criiii...

 

Não podia ser verdade...pensou Aninha.

O Grilo obedecia e estava cantando parabens pra ela.

 

Fábio escapou do meio da turminha e saiu correndo avisar aos pais de Aninha de que um grilo cantava parabens, no meio das samambaias.

 

Em seguida a Fábio, viera Mariana que confirmara o que Fabio dissera.

 

Os pais de Aninha foram até onde estavam as crianças.

 

- Gustavo, faz isso de novo? pediu Fabio.

 

Gustavo olhou para os pais de Aninha e sem saber o que fazer, apenas falou:

 

- Grilinho pequenino, cante parabens pra Aninha!

 

- Criiii...Criiii...Criiii...

 

Os pais de Aninha sorriram, agradeceram a brincadeira e disseram que era coincidência o que estava acontecendo.

 

As crianças olharam umas para as outras. Gustavo tambem estava surprêso.

 

Os pais de Aninha chamaram a todos para irem até a mesa da festa.

 

Era hora de cantar os parabens, cortar o bolo, apagar as 6 velinhas.

 

Quando iam começar...

 

-   Parabens a voce...

 

-   Nesta data queridaaaaaaaaaa...

 

Neste momento, todos escutam o grilinho que gritava bem alto... Criiii...Criiii...Criiii...

 

 

 

Fin – fin

 

 

 

Ministério da Cultura sob nº.000   ®

Livro 00        Folha 00

Fundação Biblioteca Nacional  -  Rio de Janeiro  -  Brasil

 

 Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

elsarossi@yahoo.co.uk

www.elsarossi.com

 

4 - A Aranha Risonha

                   

 

Era uma manhã de inverno europeu.

 

Thomas levantou alegre.

 

O sol brilhava tão intensamente que  Thomas pediu para a mãezinha se ele poderia ir brincar no  quintal.

 

- Sim, Thomas, disse-lhe a mãezinha.

 

Thomas pegou seu estojo novinho de lápis de cores que  a tia lhe dera no dia do seu aniversário.

 

Pegou uma cartolina preta e lá sentou, nos degraus da escada no meio do jardim, onde já começavam a desabrochar as flores do inverno.

 

Pensou um pouco, virou a cartolina, pensou mais um pouco e por fim se decidiu.

 

Ele queria fazer uma aranha de cartolina.

 

Depois iria colocar um barbante e pendurá-la, como ele fizera no seu sonho.

 

Isso mesmo - pensou Thomas! Já sei como fazer. Viva!

 

Ele cortou um quadrado:

 

Depois ele recortou 6 retângulos compridos.

 

 

Aí Thomas pensou mais um pouco, como é que ele faria para colocar as perninhas?

 

Manhêêêêêêêê!!!

 

Saiu da escada e correu pra dentro de casa!

 

Sim, Thomas? – disse a mãe meio assustada!

 

- O que aconteceu, meu filho?

 

E Thomas:

 

- A minha aranha, mãe!

 

- Uma aranha? Onde? Cuidado!!

 

Thomas começou a rir...Ah! ah! ah!

 

- Não tem perigo mamãe, estou recortando cartolina e estou fazendo uma aranha, igual a que eu vi no meu sonho, disse sorrindo.

 

- Ah!  Bom!!! Disse a mãe! Que susto!!!

 

- Voce sonhou com uma aranha?

 

Thomas respondeu:

 

- Sim, sonhei!  E ela era uma aranha sorridente, mamãe, disse o menino!

 

- Eu não sabia que aranhas sorriem, falou a mãe de Thomas.

 

- Elas sorriem, porque a aranha do meu sonho era uma aranha risonha.

 

- Eu vou fazer uma igualzinha.

 

- Mamãe, como faço para colar as perninhas?

 

A mãe de Thomas respondeu que a melhor cola é a transparente, para ficar bem bonita a sua aranha risonha.

 

Thomas apanhou o tubo de cola e foi pro jardim novamente.

Pegou o quadrado e colou as perninhas.

 

Ficou assim:

 

Aí Thomas teve mais uma idéia :

 

Falou consigo mesmo:

 

- Vou colocar olhos na minha aranha e uma boca, porque ela vai estar sempre sorrindo:

 

Assim fez o Thomas: recortou um círculo em papel vermelho e dois círculos bem menores em papel branco.

 

Olhou sua bela aranha e gostou!

 

Depois pensou novamente, como iria fazer para pendurar a sua aranha risonha.

 

- Manhêêêêêêê! 

 

Saiu da escada e correu pra dentro de casa novamente!

 

A mamãe pergutou:

 

- O que voce precisa agora, Thomas?

 

- Preciso de um barbante, mamãe!

 

-         E para que voce precisa de um barbante, meu filho?

 

-         Para colocar minha aranha risonha no ar.

 

A mãezinha abriu a gaveta e deu a Thomas um barbante dourado, era o único que ela tinha guardado em casa que sobrara dos presentes de natal.

Ela guardava todos os papéis, fitas e barbantes bonitos para usar novamente.!

 

- Oba! Disse Thomas.

 

- Minha aranha vai ficar linda com um barbante dourado de natal.

 

Sabem o que Thomas fez?

 

Ele fez um furinho no meio do quadrado e passou o barbante, deu um nozinho e estava pronta a sua bela aranha.

Brincou toda a manhã com sua aranha risonha.

Deu um nome a ela.

 

- Meio esquisito esse nome, disse mamãe!

 

Voces sabem qual foi o   nome que Thomas colocou na aranha risonha?

 

Pudi”.   Sim, esse mesmo.

 

Pudi era o nome da aranha risonha que tinha um cordão dourado.

Thomas brincou todo o dia com a aranha!

- Hora de ir pra caminha, Thomas.

 

 Mamãe falou:

 

-Thomas, não vá sonhar com um elefante, sim filhinho?

Thomas riu bastante.

 

Se sonhasse com um elefante gigante, iria precisar de muitas cartolinas, muitos tubos de cola e muito barbante para construir o seu elefante.

E dormiu feliz.

Mamãe e papai também.

 

Fim

 

Meu bons amiguinhos e amiguinhas.

 

Voces querem desenhar uma aranha, ou recortar uma em papel e depois montar? 

 

Não se pode brincar com aranhas de verdade, porque são perigosas.   Somente pode-se brincar com aranhas de cartolina ou de tecido.

 

Façam assim:

 

 

Agora é só colar.  Parabéns!!! 

 

©


Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

  

Autora do texto e desenhos

 Elsa Rossi

 elsarossi@yahoo.co.uk

www.elsarossi.com

 

Revisão gramatical

Geraldo Peres Generoso

(Escritor e jornalista brasileiro)

©  2003

 

5 - Gabriela na Janela

 

Gabriela era uma doce menininha que todos os dias abria a janela e cantava sózinha!

 

O vento a admirava, mas ela, ao vento nem ligava…

 

Pobre vento!!!

 

Quando o dia amanhecia, Gabriela acordava e mesmo antes de dar o beijo de bom dia, na mãezinha querida, ia à janela e cantava...

 

Os passarinhos, estes sim...

 

Felizes sempre estavam, pois Gabriela com eles cantava.

 

Minutos depois a doce menininha, calçava os chinelinhos e ia à cozinha.

 

-” Bom dia mamãe querida!” dizia!

 

- Está um lindo dia, a alameda florida, os passarinhos nos ninhos... não querem cantar sózinhos e vêm à minha janela...

 

Mamãe respondeu :

 

- Oh! Filhinha, que docura, és toda ternura, tens amor no coração!!!

 

- Porisso os passarinhos te procuram e te dão bom dia...

 

- “...Oh! Minha doce mãezinha, fico na janela sozinha, agradecendo a Deus!

 

- Eu sei que Ele deu a mim, voce, mãe querida, que mora no meu coração.

 

- Então eu sempre faço minha prece na janela.

 

Em dado momento, Gabriella com ar pensativo, pos a mãozinha sobre o queixinho, pensou...pensou e à mamãe falou...

 

-                                        Mamãe, posso perguntar uma coisa???

 

-                                        Sim Gabi.

 

-                                                                                                         - Mamãe, posso não gostar do vento???

 

- Porque voce não gosta do vento, Gabriela?

 

- “Eu não gosto do vento, porque ele vem sem me avisar, abre a minha janela, e põe meus cabelos no ar!”

 

Mamãe falou :

 

- Oh! Filhinha, a natureza, pródiga em beleza, nos dá a chuva, o sol, o dia e a noite escura, o mar com as ondas, as aves, todas as criaturas, para vivermos em harmonia...

 

...e nos dá também o vento!

 

Às vezes o vento é forte, vem do sul vem do norte, ele colabora com a própria  natureza, limpando os ares para respirarmos melhor.

 

Amar a natureza também é caridade.

 

Assim falava a mamãe de Gabriella

 

- Devemos ser caridosos, com corações generosos, para servir ao Senhor.

 

-                 A Ele tudo devemos, nossa vida, os a quem amamos, nossos amigos, nossos irmãos, nosso lar, sua canção...

 

-Venha, dê-me um abraço apertado, ouça a canção do vento, feita especialmente para ti querida...

 

Ele te ouve às manhãzinhas, e à noite te embala em assobios, para que

durmas tranqüila.

 

Assim terás bons sonhos em descanso, em aprendizado na vida, para que possas um dia, minha doce alma querida, abraçar a natureza, com teus braços de princesa, que conhece a melodia, do amor, da paz, da fraternidade, da harmonia, crescendo a caridade, no seu coração de criança.

 

-                      Oh! Mãezinha, sou tão feliz, imensamente feliz...

 

-                      ...sim mãezinha, não vou mais brigar com o vento.

 

Tambem vou pedir aos passarinhos, que não abandonem seus ninhos, que cantem lindas canções, para seus filhotinhos. Como voce faz para mim...

 

-                      Vai, minha doce Gabi, preparar-se para a escola.

 

-                      Leve o lanche, leve o bolo, e jogue pequenos farelos, aos seus amigos passarinhos no caminho.

 

Eles te acompanharão, cantando e alegrando seus

passos, como a agradecer-te filha querida por tratar a eles com bondade.

 

Fin-fin

 

Fundação Biblioteca Nacional  -  Rio de Janeiro  -  Brasil

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

elsarossi@yahoo.co.uk

www.elsarossi.com

 

 

6 - A Festa das Formas

Era uma vez, no PAIS DOS DESENHOS...

 

...uma grande festa estava para acontecer!!

 

Todas as figuras geométricas, linhas, pontos, sinais, estavam ansiosos para se divertirem com os amigos!       

 

A primeira a chegar toda bonitinha, foi a Cessata, que comprou sapatos novos para seus 8 pézinhos.

 

Ela procurava ajudar a todos os que tinham algum tipo de dificuldade.

 

Com ela, veio a Kora, que tinha um probleminha na  perninha e usava uma bengalinha. Tambem precisva de ajuda dos amiguinhos porque usava óculos com o vidro bem espesso por causa do problema na vista.Ela quase não enxergava.

 

 

Cessata, ficou muito cansada de tanto trabalhar e acabou dormindo na festa.

 

Os outros convidados, se reencontravam contando as novidades e as historias de suas vidas. Todos se ajudavam, era uma alegria só.

 

O besouro Fliko chegou com uma jaqueta bem colorida e foi logo ajudar o Botó a subir na parade.

 

Capo com muita calma começou a organizar a fila para receber os bolos e refrigerantes.

 

De repente alguem gritou=

 

Olhem lá… quem vem vindo!!!

 

O Lolota pulando corda.

 

Querido amiguinho:  sabe porque a presença de Lolota é importante na festa?  Não sabe???

 

Ele não deixa cair uma sujeirinha no chão.

 

Todos colaboram com ele, jogando os papéis, os lixinhos, tudo, tudinho, dentro do Lolota.

 

Ele tem uma irmãzinha a Lalata. Ela vem chegando de mãos dadas com ele …

Ela é bem simpática gosta de cantar, brincar e ajudar as pessoas a serem felizes.

 

Kora ficou preocupada com a sua irmãzinha que não queria brincar com o Kuadruska.

 

Depois de alguns minutos estavam de mãos dadas e sorrindo.

 

Os  amigos de verdade são como nossos irmãos.

 

A gente pode até ter uma briguinha, mas depois a gente desculpa de verdade, perdoa de verdade e renova a amizade para sempre.

 

Somos uma grande família, que bo-om!

 

 

Aguardando registro no Ministério da Cultura sob nº.   ®

Livro 00        Folha 00

Fundação Biblioteca Nacional  -  Rio de Janeiro  -  Brasil

 Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

 

Autora do texto e desenhos Clip Art

Elsa Rossi

elsarossi@yahoo.co.uk

www.elsarossi.com

 

7 - O Jardim Encantado

* * *

Certa vez...

 

...no Jardim Encantado....estava pra acontecer uma grande festa....onde todos

felizes receberiam o Arco-Iris da Alegria.

 

Quando ele aparecia,  a floresta se enfeitava de belas cores e todos os amiguinhos se encontravam, se abraçavam...

 

 ... a festa estava organizada.

 

Era uma imensa festa de amor.

 

Os corações estavam cheios de alegria e as flores coloridas da paciência, da obediência,  da ternura enfeitavam tudo ao redor.

 

Mas houve um dia em que todos ficaram tristes e nem sabiam porque. Ficaram pensando, pensando e descobriram que estavam tristes porque sentiam falta da do brilho da Pequena Estrela da Paz.

 

Esperaram, esperaram e resolveram todos irem em busca da PAZ! 

 

Logo mais iria escurecer e sem  o brilho e a Luz da Pequena Estrela da PAZ não haveria alegria total, a mesma festa. 

 

Eis que rapidamente, o Galo Cantor se prontificou a guiar todos pelos caminhos, onde se chegaria até a Estrela da PAZ.  Ia ele à frente de todos, .. saltitante.... e feliz!

 

A coruja Tiana que era muito organizada, pediu que todos ficassem unidos e caminhassem em fila, cantando baixinho, uma suave melodia, seguindo o o Galo Cantor

 

Cantavam assim...

 

Somos amigos inseparáveis

Caminhamos lado a lado, sem correrias

Nós nos ajudamos, uns aos outros,

Seja de noite, seja de dia...

Temos a certeza e compreensão,

Que sem a Paz... nao há união....”

 

Quem iniciou a canção da Paz, foi o Galo Cantor seguido da Gralha Azul.

 

E um a um, todos foram colocando a sua voz e num dado momento, um coro maravilhoso tomava carona no vento e percorria os ares do Jardim Encantado, chegando até os ouvidos da Paz!

 

Como estavam organizados e unidos, fácil foi encontrarem o recanto onde morava a querida Pequena Estrela da Paz!

 

Tiana, a coruja, muito rapidamente saudou a Paz, disse-lhe da falta que a presença dela estava fazendo a todos aqueles corações amigos que ali se encontravam.

 

Porque voce não veio à nossa festa, perguntou a Gralha Azul?

 

-                     Me desculpem, amiguinhos! Respondeu a Paz. Estava eu muito ocupada buscando colocar amor e paz nas mentes e nos corações de nossos irmãos que se encontram em guerras.

 

-                      Sem que eles permitam que o amor os envolva, nada se pode conseguir e isso me deixou tão triste.

 

-                     Mas voces são a minha alegria! Sinto que nos seus corações o amor fez eterna morada!  Sei que posso contar com a ajuda de voces!

 

Oh! Oh! Oh! ...Exclamaram todos. !!!

Muito obrigada querida Pequena Estrela  da PAZ.

 

Ela em seguida continuou falando:

-         Tenho um pedido a fazer a todos! Posso?

 

Pode falar... pode falar... -  responderam todos os presentes.

Eles que tinham caminhado em silêncio, cantando pelo do Jardim Encantado, na busca da Paz! E a encontrando, estavam felizes! 

 

Disse a Paz:  Eu sou uma feliz Estrela da Paz e com a colaboração de voces todos, de voce tambem amiguinho leitor, vamos ajudar ao mundo a viver em paz.!

 

Olá queridos amiguinhos e amiguinhas!

 

Querem saber como voces podem me ajudar a espalhar a semente do Paz? 

 

Sorrir sempre, pensar o bem de todas as pessoas, dos amiguinhos, desculpar o irmãozinho, ajudar a mamãe, obedecer o papai, fazer as lições da escola para que a professora não  fique triste e voce possa aprender muito.

 

Outra coisa importante para se espalhar a paz e tê-la dentro de casa, é não deixar os brinquedos jogados no chão do quartinho, no chão da sala.

 

Quantas coisas podemos fazer para viver em paz e fazer a paz ficar perto de nós.

 

Queridos amiguinhos! Converse com a mamãe e o papai sobre a importância da Paz! 

 

E não deixem de oferecer a paz a eles tambem. Podem fazer assim:

 

* Ir para a cama cedo, para deixar o papai e a mamãe descansar do longo dia de trabalho.

 

* Falar sempre a verdade, não fazer mexericos, não dizer mentiras... todas essas coisas negativas fazem a Paz ir embora e a tristeza e desunião tomam conta.

 

Porisso, vamos buscar sempre ter muito amor no coração, e agradecer a Deus pela vida de cada um de nós, que juntos, formamos o Grande Reino da Alegria, onde Deus é o nosso soberano.

 

Não se esqueçam, amiguinhos.

Virei visitá-los sempre que voces tenham amor no coração.

 

E então, sempre estaremos juntos na Festa de Amor e Paz!...

 

Fim

*

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

Autora do texto e desenhos -  Elsa Rossi

 elsarossi@yahoo.co.uk   -    www.elsarossi.com

 

VITINHO e os ELOGIOS

 

 

M eu filho Vitor, o “meu”  Vitinho é um menino muito inteligente, muito limpo, muito organizado...

 

...muito, muito...”

 

...era assim que dizia dona Dora, a mãe de Vitinho, a toda hora.

 

“Ele é um exemplo para todas as crianças...”, continuava.

 

Na escola, “meu” Vitinho é sempre o primeiro aluno da classe.

 

Vitinho faz isso... Vitinho faz aquilo...

 

Desde pequenino eu não deixo ele ir brincar na rua, para não se sujar e ficar doente...

 

-                                                  Comer com as mãos???

-                                                  Nem pensar!

E assim, ia dona Dora relatando os feitos do Vitinho para todas as pessoas com quem ela conversava.

 

Algumas de suas amigas, as vezes a evitavam, porque não aguentavam mais dona Dora só falar do filho dela...

 

Era como se os filhos das outras mães fossem totalmente sem educação no lar.

 

Coitado do Vitinho!

 

Vinham as crianças chamá-lo pra brincar, ouviam a mesma resposta:

 

- Não posso..., minha mãe não deixa...

 

Vinham os amigos da escola convidá-lo a nadar no riacho...

 

- Não posso, mamãe não me deixa ir, era a resposta.

 

Dava até pena do Vitinho!

 

Ficava olhando as crianças serem crianças... e ele... o que ele era senão uma criança?

 

Um dia Vitinho ficou doente.

 

Dona Dora ficou apavorada e  chamou o  médico.

 

Ninguém sabia qual a doença do Vitinho...nem o médico.

 

Os amiguinhos da Escola foram fazer uma visita.

 

Dona Dora não os deixou entrar porque eles podiam estar com a mão suja, iam segurar amao, ou sentar-se na cama do seu filho e isso não seria bom para a saude do Vitinho.

 

Passou uma semana e nada do Vitinho melhorar. 

 

As amigas de dona Dora foram visitá-la e uma delas arriscou a dizer que a doença do Vitinho era porque ele não podia ser uma criança como as outras crianças.

 

Falaram as amigas que dona Dora deixasse o Vitinho viver a idade dele como deveria ser, junto aos amiguinhos, jogando futebol, pulando corda, nadando no riacho, fazendo castelos de barro, subindo na árvore do parquinho infantil lá da praça. 

 

Dona Dora pensou, pensou e resolveu seguir os conselhos da amigas.

 

Foi ao quarto perguntar ao Vitinho se ele gostaria de ir até a praça, brincar no balanço, subir no escorregador...

 

Ela nem terminou de falar e os olhos de Vitinho brilharam, ficaram arregalados e imediatamente a cor voltou ao seu rosto que estivera muito pálido por dias e dias.

 

Vestiu-se o pequeno Vitinho e lá foram para praça.

 

Nada de remédios, nada de injeções, nada de médicos, só atenção e amor. 

 

Dona Dora aprendeu a lição.

 

Seu filho estava bem de saúde.

 

Agora ela não parava de dizer que o Vitinho jogava bola muito bem, subia nas árvores mais altas, corria mais rápido que os outros meninos.

 

Essa dona Dora não aprendeu toda a lição, só a metade.

 

Um dia ela com certeza vai aprender toda a lição de viver.

 

Fim-fim

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

 

Elsa Rossi

www.elsarossi.com

elsarossi@yahoo.co.uk

Lily e o Sorvete de Caramelo

 

Lily era uma cachorrinha muito sabida.

 

Ela gostava muito de sorvete  de  caramelo.

 

Ela sempre acompanhava Lucinha até a podararia quando dona Janine pedia a para ela ir comprar pão.  

 

Quando chegavam na padaria do sr. Daniel, Lily ficava em frente das geladeiras de sorvetes e latia, latia e latia.

 

Como todos a conheciam e sabiam o quanto ela gostava de sorvete de caramelo, o Sr. Daniel sempre colocava uma pequena porção de sorvete no pires e deixava Lily saborear.

 

Como ela ficava feliz.  Mais que feliz, estava sempre sorrindo.

 

Uma graça essa cachorrinha.

 

E assim aconteciam todos os dias.

 

Às vezes dona Janine tardava a pedir a Lucinha para ir comprar o pão, mas a Lily não se esquecia não.

 

Latia, latia...

-             Nossa, dizia dona Janine, quase ia me esquecendo do pão.

 

-             Obrigada Lily por lembrar-me do pão.

 

E lá ia a Lily com a Lucinha buscar o pão e o bocado de sorvete de caramelo.

 

Um dia Lucinha resolveu chamar suas amigas pra cantar parabens na festinha de aniversário de 4 anos da Lily.

 

Sabem do que era feito o bolo???

 

De sorvete. Isso mesmo. O sr. Daniel deu de presente o bolo de sorvete e Lucinha e as amigas adoraram ter uma festinha de aniversário para a Lily.

 

Quem mais se divertia era essa cachorrinha sapeca, pois recebia muitos carinhos de todas as meninas e meninos amigos de Lucinha, que estavam na festinha de aniversário.

 

Elsa Rossi

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

elsarossi@yahoo.co.uk

8 - A Minhoca Dorminhoca

A Minhoca Dorminhoca!

 

Uah!!!

 

Estava sempre bocejando a pequena minhoca,  quase a adormecer!!!

 

Uah!!

 

Quem ficasse perto dela,

bocejava sem querer...

 

Uah!!

Chegava a incomodar!

Quem com ela estivesse a passear!

 

Não tinha ânimo pra nada,

essa minhoquinha danada.

 

O que ela mais queria,

era ir para a sua caminha,

fosse de noite...

fosse de dia...

  

Nem adiantava outra minhoca convidar para abrir novos buracos na terra fofa, 

para trabalhar,

pois ela sempre respondia...

 

Não posso,

estou com muito sono!!!

 

UAHHHHH!!!!

 

E assim,

nada...nada ela fazia!

 

Que preguiçosa,

diziam as outras minhocas trabalhadoras e prestimosas.

 

-       Essa dorminhoca quando crescer...

-       Ai! Ai! Ai...

-       não vai ter o que comer!

 

Se nem fofar a terra ela quer,

E quanto mais trabalho tiver,

mais fujona ela vai ser,

porque está sempre a adormecer.

 

UAHHHHH!!!!

 

Num belo dia,

Nuvens fortes e pesadas,

Resolveram jogar toda chuva,

numa imensa aguarada!

As minhocas trabalhadoras,

Que estavam sempre em ação,

 

Tinham construído um abrigo,

Uma boa proteção.

 

Inundada a terra fofa,

Gritos era o que se ouvia,

 

A chuva despertou a minhoquinha,

 Que socorro a todos pedia!

 Socorreram a dorminhoca,

Valeu pra ela a boa lição,

Aprendeu a minhoquinha,

Que nada se obtém sem a ação,

 

No trabalho em conjunto,

formando uma bela união,

 

As trabalhadoras minhoquinhas,

ajudaram a companheira,

 

que deste dia em diante,

no trabalho...

era a primeira!

fin-fin


 

Aguardando registro no Ministério da Cultura sob nº.   ®

Livro 00        Folha 00

Fundação Biblioteca Nacional  -  Rio de Janeiro  -  Brasil

 

 

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

 

Autora do texto e desenhos

Elsa Rossi

elsarossi@yahoo.co.uk

www.elsarossi.com

 

Revisão gramatical

Geraldo Peres Generoso

(Escritor e jornalista brasileiro)

©  2003

 

 

As Boas Ações dos Animais!

As Boas Ações dos Animais!

Elsa Rossi

 

                       

Certa vez, havia uma reunião na Floresta.

 

Coelho Branco e a Bruxinha Peralta estavam conversando sobre a festa dos animais que iria acontecer.

 

 

Todos haviam chegado. O Elefante Dante, o Ponei Ronei, o Cavalinho Valtinho, a Abelha Vermelha, e  muitos outros.

 

A festa tinha sido logo no início da manhã, que estava iluminada pela luz brilhante do Sol

Estavam felizes esses dois amigos. Tinham ouvido os bons conselhos da Fada da Floresta.

 

Eles fizeram um trato.

 

O trato era o seguinte:

 

Se eles encontrassem algum animalzinho necessitado, eles iam ajudar imediatamente.

 

Depois iam relatar para a Dona Coruja, que era a Diretora do Clube das Festas dos Animais da Floresta.

 

 Dona Coruja, era a ave mais sabida da região. 

 

E sempre que eles precisvam de conselhos, iam conversar com Dona Coruja.

Ela aprovou a idéia dos amigos ajudarem uns aos aos outros.

 

Isso era muito bom, porque assim, todos ficavam felizes, e não haveria tristeza. 

Sem tristeza, as flôres desabrochariam mais rápido e teriam um perfume que deixaria o ar sempre cheiroso. 

 

Atraídas pelos perfumes das flôres, as abelhinhas vinham sugar o nectar e produzir o mel.

 

Além disso, as abelinhas iam cantar um Zum... Zum... Zum... e o riacho faria o fundo musical.

 

Também as Joaninhas vermelhinhas viriam colorir as fôlhas verdes das plantinhas.

 

Então a Bruxinha Peralta saiu pela floresta gritando: 

 

-Tem alguém precisando de ajuda aquiiiiiii!

 

-Tem alguém precisando de ajuda aliiiiiii!

 

E nada de ouvir uma resposta!

 

Desanimada, falou para o Coelho Branco...

- acho que não há nenhum animalzinho que precise de ajuda!

 

Nisso, ouviram um barulhinho diferente...

 

Eram suspiros. 

 

Um cavalinho tinha caído num atoleiro e não podia nem gritar, senão ele afundava mais.

 

Foram de mansinho, percebeam que o pequeno cavalinho estava pedindo socorro bem baixinho..... e sem perda de tempo, foram chamar o Elefante Dante que era bem forte...só ele poderia retirar o cavalinho do atoleiro.

 

Assim foi feito.

 

O Elefante Dante chegou, tirou o cavalinho e ficou feliz por ajudar o amigo Coelho Branco e a amiga Bruxinha Peralta.

 

O Elefante tambem tinha ouvido a conversa de dona Coruja com a Fada da Floresta.

Daquele dia em diante, todos ficaram atentos. E se algum animalzinho precisasse de ajuda, lá estariam nossos amigos, praticando boas ações.

 

Um dia, quando a Fada da Floresta viesse visitá-los novamente, ficaria bem feliz.

 

Teriam muitas flôres, muitas abelhinhas, muito mel, muitas Joaninhas, e a Floresta estaria inteiramente colorida de boas ações.

 

Fim

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

                                                                     www.roundtablepublishing-uk.com     -    www.elsarossi.com        -        elsarossi@yahoo.co.uk

Julia e a Natureza

 

Em uma bela tarde de sol, Julia e Roberto ao chegaram da escola, foram rapidamente brincar no jardim de sua casa.

 

Roberto foi brincar com sua bola e Julia foi abrir a torneira do quintal, que sua mãe usava para molhar as lindas flores, as belas macieiras que aqueles dias estavam  carregadas de frutas vermelhinhas.


Ela adorava abrir a torneira e ficar admirando o filete de água.

 

Colocava as mãozinhas juntas feito uma concha e deixava a água correr pelas suas mãos pequeninas.

 

Julia movimentava as mãozinhas, apertava as mãos para ver a água sair feito jatos por entre seus dedinhos mimosos.

 

Ela fazia isso quase todos os dias.

 

E enquanto brincava com a água, ficava pensativa, como que a meditar. 

 

Seu irmão Roberto já era o contrário, não gostava de brincar com água.

 

Os dois irmãozinhos se davam muito bem.

 

Uma tarde, o raio de sol passando por entre os respingos da torneira formava um arco íris de côres cintilantes...

 

Roberto que brincava a certa distância, mas não deixava de olhar Julia, observou aquele fenômeno tão lindo e gritou:

 

-             Júlia, como voce consegue fazer isso, que lindo... quero fazer tambem...

 

Mas no momento que ele chegou perto da torneira, sua sombra não deixou os raios do sol atingirem a água e o arco íris pequenino, sumiu...

 

- Buáááá, começou Roberto a chorar. 

- Eu quero fazer isso tambem, Julia. 

 

- Se voce faz, eu quero fazer isso tambem....buáááá.

 

Julia, que tinha já os seus 8 aninhos, segurou na mãozinha de Roberto e ambos foram se sentar nos degraus do jardim, junto ao pé de azaléias floridas e perfumadas. As folhas e flores do pé d a’zaleias faziam uma sombra muito gostosa.

 

Julia parecia até uma professôra consolando o aluno no primeiro dia de aula.

 

Roberto, disse Julia!

 

- Não chore, que eu conto uma historinha para voce, voce quer?

 

Imediatamente os olhinhos de Roberto, que tinha 4 aninhos, brilharam. Ele adorava historinhas de Julia, que era muito criativa. Tinha uma imaginação muito rica em detalhes, desde pequenina.

 

Júlia prestava muita atenção em tudo. Ela  se utilizava de objetos à sua volta, para criar suas historinhas!

 

Então, ela apanhou o galho e azaleia que estava sobre sua cabeça e aproximou a flor da azaleia para que Roberto pudesse tocá-la, sentindo sua textura, pudesse sentí-la no seu perfume ímpar e visse as suas cores, ressaltando uma beleza exemplar.

 

Roberto, em um segundo fez tudo isso e apressado falou...

 

-             e daí Julia, conta a historinha que voce prometeu.

 

-             Calma, Roberto..., falou Júlia!

 

Ela era muito disciplinada, muito tranquila!

 

Julia voltou a falar....

 

- Roberto quando voce crescer como eu, voce aprenderá uma porção de coisas.

 

A tia da Escolinha desde ontem está dando aula sobre Deus e a Natureza. E eu gosto muito, porque ela fala que nem a  mamãe.

 

Ela disse que a gente pode saber como é Deus se a gente observar a Natureza. 

 

Ela falou do arco íris, da água, das plantas, das macieiras, das flores...e eu fiquei feliz porque ela falou das Azaleias e aqui no jardim de nossa casa temos muitas azaleias coloridas.

 

Eu até pedi pra mamãe para eu levar umas azaleias pra minha professora.

 

Mamãe disse que sim, então amanhã vou levar para a escola, um ramalhete de azaleias, de todas as cores que mamãe plantou no nosso lindo jardim.

 

E daí, disse Roberto...voce não vai contar a historinha?

 

Julia, com tanta paciencia...viu que Roberto já nem se lembrava mais porque havia chorado.

 

Mesmo assim, ela disse a ele:

 

Roberto, tudo o que nos vemos na natureza...

 

Roberto imediatamente pergutou:

 

-O que é natureza, é algum bichinho?

 

-Não, respondeu Julia. Natureza é tudo isso aqui...

 

Pegou sua mãozinha e colocou nas folhas da azaléia.

 

Depois levou-o até a água, molhou sua mãozinha... depois apontou as gaivotas que sobrevoavm o jardim fazendo barulho no final do dia;

 

mostrou a ele o mar, que muito bem se avistava do jardim,,, falou dos peixes... dos ursos do Jardim Zoológico (Roberto adorava ursinhos de pelúcia, tinha muitos na sua caminha. Ele costumava dormir, desde pequenino com um ursinho especial, o Ted).

 

Quando Julia falou sobre os ursos, Roberto deu um salto e falou:

 

-             Ih, Julia, me esqueci do Ted.

-             Vou buscá-lo para ouvir a historinha

 

Abraçou Julia e saiu correndo pra dentro de casa e foi buscar o seu Ted.

 

Zás...trás... ja estava de volta e Julia que ainda estava admirando a azaleia, ouvindo as gaivotas, continuou:

 

- A Natureza foi criada por Deus e nós tambem fomos criados por Deus.

 

- Quando voce for grande, Roberto que nem eu, voce vai entender.

 

Roberto abraçado ao seu ursinho, voltou a brincar no quintal, fazendo de seu ursinho um avião imaginário....

 

...Vum....Vum...Vum... fazia ele com sua voz.

 

Julia, pensativa, olhou para os céus e disse:

 

- Obrigada Deus pelo meu irmãozinho. Eu sei que ele não entende voce ainda, mas eu já entendo.

 

Assim Julia continuou seus dias. Cada vez mais sentia a Natureza, mais próxima de si, desenvolvendo cada vez mais o amor e a fraternidade no seu coração de criança que já trazia a compreensão sobre Deus.

 

Fazia os deveres da escola com  muito capricho, ajudava a mãezinha a cuidar das flores,  a alimentar o seu cachorrinho Palú, e tambem, ajudar seu irmãozinho Roberto a aprender uma porção de coisas.

 

As amigas de Julia estavam sempre ao redor dela, para que Julia as ajudasse a compreenderem as lições de geografia, história, ciências, enfim, tudo sobre a natureza!

 

Para Julia, era sempre uma alegria poder ajudar a todos!

 

Fim-Fim

 

Elsa Rossi

elsarossikardec@gmail.com

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

Camila e Caio

Camila e Caio

                                                          

  Que alegria!!!

 

- Oba! Consegui terminar minha redação em primeiro lugar, vou ganhar o prêmio.   - Oba! 

 

Estava muito feliz o Caio, irmão da Camila.

 

Tudo o que Caio planejava fazer, conversava com a Camila, trocava idéias com ela. Camila tinha muito carinho para com Caio. Não era seu irmãozinho nascido da mesma mamãe e papai, mas isso não modificava o amor fraternal que tinham um pelo outro.

 

Quando Camila tinha 4 aninhos, mamãe ficou muito doente. O médico disse que ela estava com câncer. Camila ouviu quando papai conversava com o médico.

 

Camila não sabia o que era câncer, uma palavra tão diferente, que cansava a boca só em falar.

 

Papai explicou que a saúde de mamãe precisava de muitos cuidados. Mamãe estava doente e que teria de ficar  no hospital por algum tempo.

Mamãe ficou um tempão no hospital. Papai e Camila iam todos os dias ver a mamãe e pediam ao papai do Céu para ajudar a mamãe a ficar boa de novo.

 

Papai do céu atendeu as preces de Camilinha e do papai.  Mamãe foi melhorando, melhorando, os cabelos cresceram tão lindos. Às vezes mamãe ficava tomando sol sentada na cadeira da varanda, e sol fazia os cabelos de mamãe brilharem que nem estrelinhas.

 

Então, 2 anos depois, mamãe já bem saudável, decidira com papai, que Camila precisava de um irmãozinho ou irmãzinha.  Conversaram com  Camila e ela mais do que depressa, muito alegre, gostando da idéia, disse: SIM, eu quero um irmãozinho ou irmãzinha.

 

- VIVA!!! Vou ter com quem brincar!!!

 

Papai explicou que mamãe não poderia dar outro irmãozinho ou irmãzinha, mas que Papai do Céu tinha deixado um presente para eles no orfanato, e lá foram felizes visitar o Caio que tinha a mesma idade que Camila.

 

Foi amizade no primeiro encontro. Camila e Caio se deram tão bem, mas tão bem, que vocês precisavam ver.

 

Naquela visita, conversaram com a Diretora do Orfanato Jesus Menino e foi permitido que a família levasse Caio para passar o final de semana com eles.

 

Para alegria do papai e mamãe, o Caio era bem educado, tinha boas maneiras. Camila mostrava toda a felicidade por ter um irmãozinho para dividir as brincadeiras, ver os desenhos animados juntos, enfim, ter um amigo.

 

Domingo à tarde Caio deveria retornar ao orfanato. Eles nem se preocupavam com isso, tão felizes estavam.

 

Passearam, foram ao zoológico, tomaram sorvete de caramelo. Eram parecidos até nisso – “os dois gostavam de sorvete de caramelo”. A cada minuto descobriam coisas em comum que gostavam de fazer e o que não gostavam.

 

Caio disse a Camila:

 

- Não gosto de chuchu. Camila, na mesma hora...eu também não gosto Caio, mas papai e mamãe sempre me dizem que devemos comer todas as verduras e legumes que ela cozinha, pois precisamos ter os olhos, as pernas, a barriga, os braços, tudo funcionando bem. Se não comermos de tudo, nosso corpo ficará carente, com falta de vitaminas e não cresceremos, vamos ficar anões.

 

Deus me livre!!! - disse Caio mais do que depressa. Não quero ficar pequeno por falta de vitamina. Quero crescer. Vou comer de tudo, tudinho que estiver no meu prato na hora da comida. 

 

Assim, conversavam muito as duas crianças.

 

Camila e Caio pareciam tão felizes. 

 

Camila falou para o Caio, quando estavam subindo na gangorra: - Caio, olha a minha mamãe. Ela é tão bonita. Nos dias em que ela esteve doente, ela ficou sem cabelos e agora os cabelos de mamãe brilham ao sol, são lindos. Eu amo a minha mamãe.

 

Camila amava tanto a sua mãezinha. Sempre agradecia ao Papai do Céu por mamãe estar boa de novo.

Estava começando a escurecer. Papai vinha vindo chamá-los para irem levar o Caio. Não podiam se atrasar, tinham combinado com a Diretora do orfanato.

 

Quando tiveram de se despedir, Camila e Caio choraram muito, assim também a mãezinha de Camila. Mas o papai e a mamãe sabiam que, dentro de pouco tempo, Caio estaria com eles definitivamente. Seria o filho do coração, adotado com muito amor, para ser educado e amado como era Camila.

 

Enfim, depois de algumas semanas de espera, chegou o dia especial.

 

Que alegria. Camila, já desde cedo só pensava na hora de ir buscar o Caio. Preparou seu quartinho, arrumou as bonecas, livros e jogos, deixou tudinho no lugar.

 

Era segunda-feira, e ela não iria para a escola naquele dia. A família iria buscar o Caio antes do almoço e então ele ficaria definitivamente com eles.

 

O encontro foi lindo, abraços e mais abraços. Não se soltaram mais. Era tanta coisa pra conversar os dois pequenos.

 

Quando Caio chegou em casa, encontrou seu quartinho arrumado, tudo em azul e branco, abraçou papai e mamãe, beijando-os, depois correu e abraçou Camila.

 

Ele ia ter um quarto só dele. Ele nunca tinha dormido em um quarto sozinho, pois no orfanato eram 4 beliches em cada quarto, então eram 8 meninos no  mesmo quarto. (Beliche é o nome das camas que ficam umas em cima das outras, por falta de espaço).  Eram seus irmãos do coração que ele lá deixara. Por um segundo apenas, ele pensou que iria chorar, de alegria, emoção e peninha dos irmãozinhos do coração que ficaram no Orfanato Menino Jesus.

 

Mamãe e papai, pressentindo os pensamentos de Caio, disseram a ele: -  Caio, iremos sempre visitar as crianças do orfanato e levaremos brinquedos no natal, doces e jogos. Está bem assim, meu filhinho?

 

Caio abraçou a mãezinha e Camila correu e se juntou a eles.

 

Camila disse ao Caio: - você já olhou embaixo do seu travesseiro,Caio?

 

(Caio estava fazendo que não com a cabeça).

 

- Não?

- Então olhe. Fui eu que fiz. Fiz sozinha, repetia Camila.

 

Caio pegou um envelope feito à mão por Camila. O envelope estava todo decorado com flores de todas as cores e formatos, tudinho feito por Camila.

 

Ele abriu o envelope e dentro tinha um papel também todo desenhado nas bordas. Não era uma cartinha não. Era um poema. Isso mesmo. Camila escrevera um poema para o irmãozinho, poema de Boas Vindas. O poema er assim:

 

Querido irmãozinho Caio,

Até que enfim você apareceu

Eu sempre sonhava contigo,

E rezava ao Papai do Céu,

Para que voce chegasse logo,

E agora que voce chegou em casa

Tudo o que eu tenho também é seu.

Vamos ser bons companheiros

Em todos os dias e horas

Estaremos sempre protegidos

Pela Mãe de Jesus,

Nossa Senhora!

 

Caio leu e ficou curioso. Perguntou para Camila:

 

- Mamãe ajudou você, Camila?

 

Ela respondeu que sim, que mamãe era poetisa e gostava de escrever também. Um dia Camila pensava em ser uma escritora de estorinhas para crianças. Mas agora ela era ainda uma criança.

 

Depois disso, como crianças que eram, desceram para o parquinho para brincarem, os dois irmãozinhos.

 

Papai e mamãe ficaram observando da janela do apartamento, os dois filhinhos brincando no parque, e uma lágrima silenciosa brotou dos olhos da mãezinha de Camila e Caio, pela felicidade de poder dar muito amor as crianças, terem uma família simples, mas tão linda. E ainda havia muitas crianças no orfanato esperando um lar. Isso doía no coração dos pais de Camila e Caio.

 

Papai meditava silencioso, pensando que mais um ano, e estariam no orfanato novamente, buscando outro filhinho ou filhinha para, com Caio e Camila, aumentarem o lar de amor que já haviam construído.

 

Quanto tempo de expectativa.

 

Passados alguns meses, lá estava o Caio, recebendo o seu prêmio na escola, por ganhar o primeiro lugar na redação sobre a Família, que a professora Sofia havia dado como lição da semana.

 

Recebeu um lindo livro da professora que, abraçando-o disse: Caio, a sua redação foi um presente para mim. Li e reli várias vezes e tomei uma decisão. Sua redação inspirou-me a buscar meus filhos que me esperam no orfanato. E com certeza, serão parecidos com você.

 

No dia da entrega do prêmio, lá estavam mamãe, papai e a irmãzinha Camila. Caio estava muito feliz.

 

O que ele esperava mesmo, era chegar o dia de irem buscar um irmãozinho no orfanato. E na mente dele, ele até já sabia quem viria se juntar à família.

 

Mas na mente de Camila, ela queria uma irmãzinha.

 

Na mente de papai e mamãe, eles iriam buscar seus dois filhinhos adotivos, uma filhinha e um filhinho que ainda estavam no orfanato e iriam fazer surpresa pra Camila e Caio.

 

Assim, o lar de nossos amiguinhos ficaria maior.  Camila iria dividir seu quartinho com a nova irmãzinha que viria, e Caio, teria um irmãozinho dormindo no mesmo quarto.

 

Assim todos em casa continuariam a viver em muita paz!

 

March 2005


Elsa Rossi

elsarossikardec@gmail.com

Direitos autorais

Roundtable Publishing UK  

www.roundtablepublishing-uk.com

www.elsarossi.com